Fazendo a cachola

João Wady Cury

07 Dezembro 2018 | 16h24

Pelo menos dois espetáculos em cartaz – Carmen, musical sobre Carmen Miranda, no CCBB, e Panorama Visto da Ponte, no Teatro Raul Cortez – primam pela reação, ao final da sessão, de seus protagonistas. Amanda Acosta, em Carmen, e Rodrigo Lombardi e Sergio Mamberti, em Panorama, levam uma conversa sincera com o público sobre os meios de financiamento das artes, principalmente sobre Lei Rouanet – que desde a campanha eleitoral tem estado na mira do novo governo que assume o País em 2019, que ameaça extinguí-la. Os três assumem a responsabilidade de explicar o mecanismo de financiamento da lei, a sua importância para a produção cultural do País e para o público que consome arte. Surpreendem pela forma direta e honesta de desfazer mentiras plantadas por políticos durante a campanha. A verdade é simples: o público é quem mais se beneficia com a Lei Rouanet.