Chafurdando na prateleira digital

Chafurdando na prateleira digital

João Wady Cury

03 de agosto de 2017 | 15h02

Gisele Caterina Luzio, fotografada por Gabriela Bilo/Estadão

 

São Paulo tem duas boas bibliotecas de peças de teatro: da Escola de Comunicações e Artes (ECA), da USP, e a do Museu Lasar Segall. Mas nenhuma livraria dedicada inteiramente ao mundo das artes cênicas. Errado. Tem, e atende pelo nome de Livraria do Teatro. Não existe fisicamente, mas suas prateleiras habitam o mundo digital: livrariadoteatro.com.br.

Foi criada pela ex-cenógrafa Gisele Caterina Luzio, há mais de dois anos, quando abandonou a carreira por um problema na coluna. São mais de 2 mil títulos de livros e quase 200 filmes. O teatro pode ter perdido uma grande cenógrafa, mas, por outro lado, ganhou uma livraria inédita, dedicada exclusivamente às artes cênicas. Pra comemorar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.