Artistas formam comissão para discutir com MinC privatização do TBC

João Wady Cury

21 de setembro de 2017 | 12h36

Um grupo de 40 artistas e curadores ligados à classe teatral paulistana escolheu, na tarde desta quarta-feira, 20, em reunião no Teatro Oficina, quatro representantes para formar uma comissão e discutir a questão da privatização do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC) com o Ministério da Cultura. O grupo deve procurar o ministro Sergio Sá Leitão nos próximos dias para requerer uma audiência. Fazem parte da comissão o curador de teatro da Biblioteca Mário de Andrade, Alvaro Machado, Dorberto Carvalho, da Cooperativa Paulista de Teatro e do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões no Estado de São Paulo (Sated-SP), a atriz Carol Badra, da Mundana Companhia, e o pesquisador da USP Stenio Dias.

O movimento foi iniciado como reação dos artistas à decisão do MinC de repassar o TBC à iniciativa privada por meio de um edital que, segundo o ministro, seria publicado ainda este ano. O teatro, que pertence à Fundação Nacional de Artes, Funarte, está fechado há dez anos. O governo federal investiu cerca de R$ 20 milhões na compra do TBC e na reforma da estrutura do prédio, mas ainda seriam necessários R$ 13 milhões para a conclusão das obras do teatro, que possui três andares e está localizado na Rua Major Diogo, no bairro da Bela Vista.

 

 

Aqui, o documento que resultou do encontro com os nomes dos signatários.

 

SALVAR O TBC PARA O BRASIL
A classe teatral paulista repudia o anúncio de privatização de um bem público da importância histórica do TBC de São Paulo, legenda que encerra boa parte do patrimônio imaterial do teatro brasileiro junto aos teatros Oficina e Arena. Repudiamos com veemência a perspectiva desse teatro tornar-se um empreendimento puramente comercial.

Atores e atrizes, diretores, técnicos, pedagogos e produtores teatrais vêm a público lembrar que o TBC, além de constituir bem tombado em mais de uma instância de preservação do patrimônio, assim como os citados Oficina e Arena (este também adquirido pelo MinC), já consumiu mais de 20 milhões de reais do erário público em processos de compra e reforma do imóvel.

O edifício e a legenda TBC são patrimônio do teatro e do povo brasileiro e não podem figurar na “massa falida da Cultura”, como essa área vem sendo tratada pelo atual governo federal. PELO DIÁLOGO da classe teatral com o Ministério da Cultura e a Funarte, a fim de estudarmos juntos alternativas ao projeto de privatização anunciado.

Se você pertence à classe teatral — ou se é artista ou intelectual com colaborações prestadas às Artes Cênicas — e deseja endossar a declaração acima com a sua assinatura, por favor faça-o, transmitindo-nos em sua resposta nome completo + profissão, atividade ou função em qualquer instituição ligada às Artes. Em breve convocaremos nova reunião de classe através da página Facebook SALVAR O TBC – https://www.facebook.com/salvarotbc/

SUBSCREVEM: 

José Celso Martinez Corrêa, diretor do Teatro Oficina, com 40 integrantes
Sérgio Mamberti, ator e gestor cultural

Celso Frateschi, diretor teatral, ator, com Ágora Teatro

Antunes Filho, diretor do Centro de Pesquisas Teatrais do Sesc-SP

Guilherme Marques, diretor da Mostra Internacional de Teatro de São Paulo e do CIT-Ecum

Ferdinando Martins, diretor do Teatro da USP e professor do Depto. de Artes Cênicas da ECA-USP

Alvaro Machado, crítico e curador teatral da Biblioteca Mário de Andrade

Dorberto Carvalho, dramaturgo e candidato à presidência do Sated-SP

Américo Córdula, ator e gestor cultural

Carol Badra, atriz dos grupos Os Fofos Encenam, Balagan e Mundana

Stênio Dias Ramos, pesquisador em História do Teatro na ECA-USP

Ruy Cortez, professor e diretor teatral, integrante do CIT-Ecum

Célia Gouvêa, bailarina e professora de dança, viúva do diretor teatral do TBC Maurice Vaneau, curadora do acervo Vaneau/Gouvêa

Eduardo Tolentino, diretor do Grupo Tapa

Sérgio de Carvalho, diretor da Cia. do Latão e professor de Teatro na ECA-USP

Ivam Cabral, diretor da SP Escola de Teatro, ator do grupo Os Satyros

Rudifran Pompeu, diretor teatral e presidente da Cooperativa Paulista de Teatro

Rodolfo García Vásquez, pelo grupo Satyros, com 35 integrantes

Laymert Garcia dos Santos, tradutor e crítico teatral, sociólogo

Kil Abreu, curador teatral do Centro Cultural São Paulo

Maria Thais, diretora da Cia. Balagan, professora de direção teatral em ECA-USP

Luiz André Cherubini, diretor do Grupo Sobrevento

Cibele Forjaz, diretora da Cia. Livre e professora de teatro em ECA-USP

Aury Porto, diretor e produtor teatral, ator, pela Mundana Cia.

Kiko Marques, diretor e ator da Velha Cia.

Marco Antônio Rodrigues, diretor, pela companhia Folias Teatrais

Celso Curi, curador e gestor teatral, editor do Guia Off de Teatro

Pascoal da Conceição, ator

Luis Sobral, administrador do Teatro Sérgio Cardoso (SP)

Beth Néspoli, crítica e pesquisadora de teatro, diretora do TeatroJornal

Izaías Almada, ator e autor teatral

Fernanda Capobianco Porto, diretora do Instituto Teatral Capobianco

Oswaldo Mendes, dramaturgo e jornalista

João Carlos Couto, curador de dança do Teatro Alfa e gestor cultural

Marcelo Marcus Fonseca, diretor do Teatro do Incêndio

Patrícia Gordo, atriz, Associação Zona Franca

Leandro Lago, Teatro Heleny Guariba

Raul Teixeira, coordenador de sonoplastia da SP Escola de Teatro

Ygor Fiori, diretor da Cooperativa Paulista de Teatro

Gepetean H. Petean, representando o grupo Los Lobos Bobos

Irun Gandolfo, representando a Cia. Bará de Teatro

Fernanda d’Umbra, atriz

Cácia Goulart, atriz, dramaturga e diretora teatral

Tadeu di Pietro, ator

Silvio Restiffe, ator

Samir Yazbek, dramaturgo, ator e professor de teatro

Grace Carreira, advogada do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversões do Estado de SP

Carila Matzenbacher, arquiteta-responsável do Teatro Oficina, atriz

Marcelo Drummond, ator e diretor

Edélcio Mostaço, ensaísta e professor de teatro na Univ. Estadual de S. Catarina

Ney Piacentini, ator e diretor teatral

Luís Mármora, dramaturgo, ator e diretor, Cia. Marmorhaus

Chico Carvalho, ator

Leonardo Ventura, ator

Luah Guimaraez, pedagoga teatral e atriz da cia. Mundana

Adriana Monteiro, assessora de imprensa nas áreas de Dança e Teatro

Dinovan Dumas de Oliveira, advogado e ator

Lucas Lassen, produtor cultural

Cintia Pelli, Sated-SP

Lara Córdula Teixeira, atriz

Wagner Brambilla, ator

Jairo Maciel, Sated-SP

David Leroy, ator, diretor e professor

Arnaldo D’Ávila, Cia. Los Lobos Bobos

Alejandra Sampaio, atriz de Velha Cia. e Associação Zona Franca

Jedson Carta, ator

Mateus Araújo, pesquisador e jornalista teatral

Rafael Santana Habranges, ator

Ulyces Well Ryryr, ator

Luiz Antonio Campos, ator

Felipe de Souza, dramaturgo, diretor, ator e pesquisador na FFLCH-USP

Nicole Cordery, atriz

Mariana Senne, atriz

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: