Os mais queridos de São Paulo

Os mais queridos de São Paulo

João Wady Cury

06 de julho de 2017 | 13h58

Juntos. Dario Fo e Franca Rame Foto: Nicole Bengiveno/The New York Times

 

Não, não é Will Shakespeare, nem Molière. Os dramaturgos que mais têm frequentado os palcos da cidade são os inquietos e inconformados Dario Fo e Franca Rame – ele morreu ano passado, ela, 2013. Senão, vejamos. Carne de Mulher, que estreou ontem, 5, no Teatro de Arena, solo com Paula Cohen (logo abaixo, na seção 3 Perguntas), adaptação de Monólogo da Puta do Manicômio. Outra é Brincando em Cima Daquilo, no Teatro Renaissance, com Wilson Santos, dirigido por Marcelo Médici. Morte Acidental de Um Anarquista, com Dan Stulbach, saiu de cartaz e foi ao Rio, mas pode voltar. Enquanto isso, Não Vamos Pagar, que esteve no Porto Seguro, desembarca dia 1.º de setembro no Teatro Folha. É isso, por enquanto, mas contando.