Uma explicação e um Feliz 2014 Musical a todos!

Alvaro Siviero

07 de janeiro de 2014 | 16h25

 

 Pois é, Shostakovich e Rachmaninov transformaram-me em um recluso. E assim acabei meu 2013: recluso, esgotado, mas muito feliz!

A convite da Sinfonia Rotterdam – excelente orquestra holandesa que já se apresentou, não somente em terras brasileiras, mas nos 4 cantos do mundo – realizamos uma turnê que espalhou música por Rotterdam, Oss, Nijmegen, Amsterdam com o Concerto n.1 de Shostakovich, obra exigente de cunho fortemente contestatário. Um trompete – em conjunto com o piano – cria momentos musicais incríveis (assista ao finale desta obra, abaixo, com o próprio autor ao piano!). A seguir, embarquei para a Alemanha, Inglaterra. Em meu retorno, com poucos dias para me restabelecer do fuso horário, estive em Brasília apresentando o Concerto n.3 de Rachmaninov (vídeo abaixo, com a solista Olga Kern, durante a final que lhe rendeu o primeiro lugar no Van Cliburn Piano Competition), sob regência do maestro titular Claudio Cohen. Outro momento mágico! Una-se a isso as festas de final de ano e o “merecido” descanso que ainda desfruto aqui em terras fluminenses. Acredito que minha reclusão esteja justificada. Encontro-me agora recarregando baterias.

No entanto, dezenas (diversas dezenas) de emails e mensagens me foram enviadas perguntando-me quando se reiniciado o diálogo musical decodificado deste espaço. E, com o amor falando mais forte, determinei reiniciar hoje, agora mesmo, nossos bate-papos. Os próximos posts falarão sobre o célebre Concertgebouw (Amsterdam), local onde a turnê européia se encerrou. Quero contar também tudo o que vi, ouvi e absorvi na casa natal de Beethoven, em Bonn: um sonho que nutria e que se tornou realidade. Quero falar dos concertos, da Sinfonia Rotterdam, e de muita coisa que promete para 2014! Há muita estória. Mas, como diz o ditado, piano piano se va lontano! Devagar e sempre!

Aproveito para desejar um Feliz 2014 Musical a todos.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.