Um pedaço de Chopin é atirado pela janela

Um pedaço de Chopin é atirado pela janela

Alvaro Siviero

08 de novembro de 2014 | 11h21

Palácio Zamoyski, local onde este guardada muitas das relíquias destruídas

Palácio Zamoyski, localizado na movimentada rua Nowy Swiat 67/69, onde estiveram guardadas as relíquias do compositor

Com a morte de Chopin, muitos de seus pertences –  cartas, manuscritos, livros, móveis e até o próprio piano Bucholz que Chopin utilizara – foram enviados à sua família. Um material inestimável, de riqueza afetiva e histórica incomensurável. Luísa (Ludwika), a irmã mais velha do compositor, guardou as relíquias até o momento de sua morte, em 1855. Não conseguiu, no entanto, realizar o sonho de inaugurar um museu dedicado ao irmão, o Museu Chopin. A responsabilidade recaiu sobre sobre sua filha, Isabel Barcinska, que cuidadosamente guardou todas as recordações, por diversos anos, em sua residência na rua Nowy Swiat 67/69, no elegante Palácio Zamoyski (Pa?ac Zamoyskich), local onde também residiam quase outros mil inquilinos.

Por desgraça do destino, em 1863, das janelas deste palácio, foi lançada uma bomba com o intuito de atingir o governador da cidade de Varsóvia, o general russo Fiodor Berg. Eram períodos de tremenda instabilidade política. A Polônia, por sua nítida desvantagem geográfica, havia se transformado em campo de batalha de regimes totalitários de nações vizinhas. E veio o inesperado. Furioso, em represália à falida tentativa, o general ordenou que se fizesse uma pilhagem completa no edifício. Todos os inquilinos foram desalojados, o edifício foi saqueado e devastado. Desde o segundo andar, onde residia Isabel Barcinska, todos esses pertences foram atirados janela abaixo, inclusive o piano. A seguir, tudo foi queimado. Passei diversas vezes diante deste palácio quando de minha recente passagem por Varsóvia, sempre de cabeça baixa. O biógrafo Casimir Wierzinsky, vai além. “Algumas poucas cartas foram achadas em Mylowice e Alexandre Dumas (o filho) compilou-as e trouxe os originais a Paris. Entregou-as a George Sand que, depois de lê-las, as queimou também”, relata o autor. A sobrinha Isabel Barcinska faleceu em 1881 sem realizar o sonho do Museu Chopin

Parte posterior

Parte posterior da Igreja da Santa Cruz, em direção ao centro histórico de Varsóvia

Ao lado do Palácio Zamoyski, como identifica a foto, encontra-se a torre da Igreja da Santa Cruz. Neste templo, um ano após a morte de Isabel, em 1882, foi depositado na primeira grande coluna à esquerda, o coração do mestre polonês, em uma urna de cristal fechada. pode-se ver a torre da Igreja da Santa Cruz, onde repousa o coração de Chopin, salvo pelo general da SS Erich von dem Bach durante a destruição da cidade pela invasão nazista em 1944. Acima da urna, a inscrição do Evangelho de São Mateus torna-se autoexplicativa: “Onde está o seu tesouro, ali também estará o seu coração”.

Coluna na Igreja da Santa Cruz onde se encontra o coração de Chopin

Coluna na Igreja da Santa Cruz onde se encontra o coração de Chopin