Shopping JK em encontro sobre Música e Humanismo

Alvaro Siviero

10 de outubro de 2014 | 18h14

Em um mundo esvaziado de conteúdo e valores, a Arte redime. Nesses tempos modernos, nunca o homem esteve tão carente de sentido. Sede de sentido. E não são poucos os que tomam consciência dessa necessidade de resgate do verdadeiro valor do ser humano em sua raiz, em sua essência, no sentido mais profundo do valor de cada pessoa. Woody Allen, em seu filme “Crime e Pecados”, levanta este questionamento a respeito de livres decisões mal conduzidas, erroneamente tomadas, fruto de uma liberdade mal entendida: “A vida, muitas vezes, é feita por escolhas injustas, inconscientes. E quando a pessoa acorda, infelizmente, já está vivendo uma vida que não queria viver”. Como é de se esperar, a vida de cada um é resultado de escolhas que nos definem e que, ao mesmo tempo, revelam o que somos.

Alguns, como quem tenta matar a sede com água do mar, intensificam a inevitável frustração existencial rotulando tudo e todos. Não é à toa que o termo “preconceito” está tão em voga. E sem perceberem, entram no jogo do esvaziamento onde conceitos sólidos inexistem. A saudável tentativa de reversão desse quadro anêmico de valores busca jogar luz no que deveria ser a postura de muitos. O cartoon da Disney “O Rei Leão” alerta aos mais jovens sobre esse perigo quando, após diversos anos fugindo de seu destino e missão com uma vida “Hakuna Matata”, o jovem leão Simba depara-se com o espectro de seu pai, o grande rei Mufasa morto em injusto combate, que relembra o medroso filho sobre o seu verdadeiro destino: substituí-lo no reinado. “Lembre-se de quem você é” (Remember who you are), são as palavras usadas por Mufasa. Para muitos, essa singela cena transformou-se em lição de coragem e decisão. Em desejo de retificação.

 

É louvável, portanto, a iniciativa do Projeto Awake (www.projetoawake.com.br) na promoção deste conteúdo, através de encontros, palestras, cursos e debates que visam a resgatar o valor do homem e de sua identidade, provocando experiências que ampliem o olhar sobre quem somos. A Arte é o fio condutor desta empreitada. A iniciativa conta com abordagem multidisciplinar desenvolvida por diferentes profissionais das mais diversas áreas. A Música, como esperado, será um dos elos deste intenso debate de ideias previsto para a próxima segunda-feira, dia 13 de outubro, das 19:30 às 21:30, no Lounge One do Shopping JK, (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041), traçando paralelos entre enriquecimento e entretenimento, entre estética e embrutecimento, em um diálogo que terá como centro o próprio ser humano. Menos preconceito e mais conceito.

O ciclo de debates, iniciado no último dia 29 de setembro com a participação do filósofo Luis Felipe Pondé, encerrará suas atividades no próximo dia 27 de outubro, em painel entre os conferencistas. Estão todos convidados. O contato pode ser feito através dos emails renatamalheiro@projetoawake.com.br ou camila@projetoawake.com.br

Roteiro:

29/09 – Literatura – Luis Felipe Pondé
A Redenção em Dostoievski 

06/10 – Pintura – José Spaniol
Afinidades Poéticas: A transmissão afetiva da experiência ao longo da história da arte com o artista plástico José Spaniol 

13/10 – Música – Alvaro Siviero
A Música que transforma e revela a identidade do ser humano 

20/10 – Psicologia – Heloisa Marino
Ser Humano: Ser de sentido 

27/10 – Painel entre os palestrantes: Fechamento

Tudo o que sabemos sobre:

Awake

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.