Pierre Pianos abastece Lang Lang nos Jogos Olímpicos 2016

Pierre Pianos abastece Lang Lang nos Jogos Olímpicos 2016

Alvaro Siviero

22 Agosto 2016 | 18h54

Sara Raquel

Pois é, a mesma chuva que fez questão de participar do encerramento dos Jogos Olímpicos no Rio (até ela quis estar na festa) mostrou sua cara por breves 20 minutos, no dia 18 de agosto, suficientes para que o recital do pop-star chinês pianista Lang Lang, inicialmente previsto para ser realizado aos pés do Cristo Redentor, lá no topo do Corcovado, fosse transferido para o atual Centro de Informações Paineiras (antigo Hotel Paineiras), algumas boas dezenas de metros abaixo do topo da montanha. Uma pena. Mas adivinhar é proibido. E em São Pedro ninguém manda. Por duas vezes passei por esta situação de incerteza quando, aos pés deste maravilhoso monumento, ficou sob minha responsabilidade costurar, com notas musicais, o beijo azul de um céu esplendoroso com um mar cristalino. Algo indescritível. Pena que desta vez não deu certo.

A pergunta de todos era sempre a mesma: “Alvaro, como levaram um piano até lá?”. “Pergunte para a Pierre Pianos“, era a resposta. Fui informado que o mesmo “Time Pierre Pianos”, radicado há mais de 40 anos na região do Botafogo, seria novamente responsável pela ousadia. Contando com a ajuda de uma sólida equipe de transportadores e afinadores, atualmente capitaneados – atenção machistas de plantão! – pelas irmãs Sara Abreu e Vitoria Abreu, a Pierre Pianos irradia música por todo o Rio de Janeiro, com aquele tempero natural do carioca que encanta e transforma tarefas árduas e complicadas em desafios leves e divertidos. Pensem o que é carregar por todas aquelas escadarias, no ombro mesmo, um piano até o topo do Corcovado. Agora, em um segundo pensamento, relembrem a alegria que foi a festa de encerramento dos Jogos Olímpicos. Misturem tudo em uma mesma tigela. Trabalho e alegria. É a isso que me refiro.

Foi também a Pierre Pianos responsável por entregar um piano no hotel onde se hospedaria o pop-star chinês, outro para um evento com o mesmo artista na Deutsches Haus da Barra Beach Point, outro na Casa da Alemanha para uma breve apresentação em conjunto com o projeto Ação Social pela Música, além daquele destinado ao Centro de Informações Paineiras.

Ser pianista não é fácil. Os pianistas sabemos como é difícil – complicado mesmo – não poder carregar nosso próprio instrumento nas apresentações (diferentemente dos outros músicos). Os pianistas sempre ficamos, portanto, nas mãos de teatros e salas de concerto no quesito “piano”. Encontrar quem possa preencher esta insegurança de modo profissional e divertido ajuda um bocado. E eu, como pianista, somente posso agradecer quem supre de modo satisfatório essa limitação. Aos que estiverem no Rio, fica a dica.

Deixo agora, com vocês, um vídeo um tanto surpreendente, com o pop-pianist, em ritmo ávido olímpico, um tanto quanto frenético, nas Cataratas do Iguaçú…

 

 

 

Mais conteúdo sobre:

Pierre PianosLang LangRio2016