Elina Garanca aterrissa no Brasil

Elina Garanca aterrissa no Brasil

Alvaro Siviero

18 de junho de 2019 | 13h48

Após o golaço do Mozarteum Brasileiro ao promover, nos últimos anos, a vinda ao Brasil de pesos pesados da cena lírica mundial – as sopranos Anna Netrebko (2018) e Diana Damrau (2017), além do exímio tenor Jonas Kaufmann (2016) – chega a vez de mais uma goleada: a estreia brasileira da mezzo-soprano Elīna Garanča. Com apresentações marcadas para os dias 22 e 24 de junho, às 21h, na Sala São Paulo, os privilegiados que ali estarão poderão comprovar porque Elīna Garanča é uma das mais requisitadas entre as mezzo-soprano da atualidade. Carisma, excelência técnica, impecável limpeza vocal, precisão, musicalidade profunda e uma beleza ímpar transformam a presença da letã Elīna Garanča em uma visão quase angelical, em espetáculo mágico, de pó de pirilim-pim-pim mesmo, que enfeitiça a plateia. Pede-se para o tempo parar. Sua interpretação da Ave-Maria de William Gomez, no Konzerthaus de Viena, transformou música em oração. E os presentes, sentados, colocavam suas almas de joelhos, porque é de joelhos que se deve ficar diante do sagrado.

As mezzo-sopranos (meio soprano, em português) são aquelas detentoras de uma voz intermediária e mais flexível, capaz de cantar tanto notas mais agudas quanto as mais graves com um timbre de voz mais encorpado e cálido que o soprano e com maior extensão que o contralto. Ao longo de sua trajetória, ganhou diversos prêmios, como Vocalista do Ano pela revista Musical America em 2010, Cantora do Ano no Prêmio MIDEM e no Prêmio ECHO Klassik, ambos em 2007. Em 2019 foi indicada ao Grammy de “Melhor Gravação de Ópera”, pela participação na peça Der Rosenkavalier. Integrando um seleto rol artístico, apresenta-se constantemente nas mais prestigiadas casas de concertos do mundo, como o Metropolitan Opera, Royal Opera House Covent Garden e Carnegie Hall.

A cantora será acompanhada pela Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, uma das principais iniciativas socioeducativas do Mozarteum, com regência de Constantine Orbelian, diretor musical da Orquestra de Câmara de Moscou e da Philharmonia da Rússia. Nascido em São Francisco, EUA, Orbelian graduou-se em piano pela Juilliard School de Nova York, instrumento com o qual venceu o prêmio de “Melhor Gravação de Concerto do Ano”, no Reino Unido. Como regente, foi indicado ao Grammy em 2014, pelo registro de árias de Rossini com a Orquestra Sinfônica da Cidade de Kaunas (Lituânia), grupo que estava sob seu comando desde 2013.

Em sua Temporada 2019, a programação do Mozarteum Brasileiro continua no segundo semestre com apresentações da Orchestre Philharmonique du Luxembourg e da violinista holandesa Janine Jansen nos dias 20 e 21 de setembro. Nos dias 11 e 12 de outubro, no Teatro Alfa, com apresentações do grupo nova-iorquino Dance Theatre of Harlem e, em novembro, com apresentações da RTV Slovenia Symphony com participação do violoncelista Mischa Maisky.  

 

Programa 22 e 24 de junho:

Jacques Offenbach – Abertura (Orfeu nos Infernos)
Pietro Mascagni – Voi lo sapete, o mamma (de Cavalleria Rusticana)
Francesco Cilea – Io son i´umile ancella (ária de Adriana Lecouvreur)
Camille Saint-Saëns – Bacchanal (de Sansão e Dalila)
Camille Saint-Saëns – Mon coeur s’ouvre à ta voix (de Sansão e Dalila)
Francesco Cilea – Acerba voluttà (ária de Adriana Lecouvreur)
Manuel de Falla – Dança espanhola nº 1 (de A Vida Breve)
Francisco Asenjo Barbieri – Canção de Paloma (de O pequeno Barbeiro de Lavapés)
Pablo Luna Carné – Venho da Espanha (de O garoto Judeu)
Georges Bizet – Prelúdio, Habanera e Canção Cigana (de Carmen)

Tendências: