Cremona MondoMusica: a música em primeiro lugar

Cremona MondoMusica: a música em primeiro lugar

Alvaro Siviero

06 Outubro 2018 | 18h43

Faz muitos poucos dias que cheguei ao Brasil após uma semana intensa de concertos, interação artística e muito trabalho em prol da música. O Cremona MondoMusica (www.cremonamusica.com) transforma a cidade italiana de Cremona em epicentro da música mundial, um grande festival com características também comerciais em que as últimas novidades sobre instrumentos musicais, partituras, tecnologia de ponta no fazer artístico, concertos, momentos amistosos de troca de experiências, entre tantas outras realidades, são nutridas. É igualmente o momento em que a mídia internacional da área musical marca ponto em peso, com a participação massiva das mais importantes revistas do meio musical e dos principais veículos de comunicação da mídia inernacional (BBC, Wall Street Journal, NYTimes, entre outros grandes veículos). O seu forte apelo artístico (o business é consequência) transformou-a em momento único e de grande êxito, diferenciando-a de outras importantes feiras mundiais (fieri), como a de Los Angeles e Shangai. Considerada a maior feira de lutheria do planeta, a edição do Cremona MondoMusica 2018 aproveitou este momento único para igualmente premiar 3 grandes artistas pelo seu serviço à música: o maestro Valery Gergiev, o violinista Maxim Vengerov e o compositor Giya Kancheli, já tendo sido homenageados em outras edições artistas como o pianista Alfred Brendel, o violinista Shlomo Mintz, Michael Nyman e Krzysztof Penderecki, entre outros.

O Cremona MondoMusica ocorreu entre os dias 28 a 30 de setembro. Participei realizando dois recitais de piano, um deles no charmoso auditório Giovanni Arvedi, dentro do Museo del Violino, e outro na própria feira de exposições, em recital pela Petrof Pianos. Centenas de outros expositores entusiasmados mostravam as últimas novidades e descobertas em seus ramos de atuação: os pianos das marcas Fazioli, Petrof, Steinway, Yamaha, Bosendorfer, além de violinos, violoncelos, contrabaixos, violas, instrumentos de sopro e um sem fim de novidades movimentaram a cidade de Cremona durante o último final de semana. Na área tecnológica, para minha surpresa, experimentei um par de óculos que digitalmente inclui a partitura em suas lentes.

Cremona tornou-se referência musical por conta de dois de seus mais ilustres filhos: os luthiers Antonio Stradivari e Giuseppe Guarneri (autor dos célebres Guarneri del Gesù), cujos instrumentos são comercializados em reconhecidas galerias de arte e leilões por milhões de euros. Anexo ao pavilhão central de expositores – de tamanho descomunal – outros pavilhões (alguns de tamanho superior ao pavilhão principal) abrigavam e anunciavam para a enorme quantidade de pessoas (mais de 3.000 visitantes) qual o porquê de Cremona ser durante aqueles dias referência da música mundial.

O vídeo abaixo relata alguns dos muitos momentos de descontração e muita música que invadiu os pavilhões desta feira anual. Aproveitem e… um excelente dia de escolhas eleitorais amanhã!