Dok Leipzig tem mostra dedicada à produção brasileira
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dok Leipzig tem mostra dedicada à produção brasileira

Adriana Plut

31 de outubro de 2013 | 16h38

A 56a edição do Dok Leipzig, na Alemanha, o mais antigo festival de documentários do mundo, traz uma mostra formada apenas por produções brasileiras. São 10 filmes, entre longas e curtas-metragens, documentários e animações, que mostram a diversidade cultural do País. Os temas são variados: vão da instalação das UPPs nas favelas cariocas (“Morro dos Prazeres”) à época da ditadura militar (“Diário de Uma Busca”), passando pelo dia-a-dia das casas brasileiras (“Domésticas”) e o Tropicalismo de Caetano e Gil (“Tropicália”).
Todas são produções recentes do País, escolhidas pelo curador Paulo de Carvalho, radicado na Alemanha.
Para o criador do Festival É Tudo Verdade, Amir Labaki, a mostra “Foco Brasil” em Leipzig, “reflete a vitalidade do documentário brasileiro contemporâneo” e “aumenta a visibilidade internacional da produção nacional, especialmente em torno da nova geração de realizadores”. Labaki faz parte do júri internacional do festival pela segunda vez e participará também do painel “Brasil, Brasil! Making Documentaries Today” (Brasil, Brasil! Produzindo documentários hoje), no dia 1 de novembro, que vai discutir a renovação estética e geracional do documentário brasileiro na última década. O produtor Gustavo Beck, o curador da mostra “Foco Brasil” Paulo de Carvalho, o diretor Aly Muritiba e o assessor internacional da ANCINE Eduardo Valente também participarão da mesa.
A 56a edição do DOK Leipzig começou no dia 28 de outubro e vai até 3 de novembro. Confira os filmes que fazem parte da mostra “Foco Brasil”:

Diário de Uma Busca (2011)
105 min.
Dir. Flávia Castro

Outubro, 1984. Celso Castro, jornalista com uma longa história de militância de esquerda, é encontrado morto. A polícia sustenta que se trata de um suicídio. O episódio é o ponto de partida de Flavia, filha de Celso e diretora do filme, que decide reconstruir a história da vida e da morte do homem singular que foi o seu pai.

Morro dos Prazeres (2012)
90 min.
Dir. Maria Ramos

Morro dos Prazeres é uma crônica documental sobre o dia a dia de uma comunidade do Rio de Janeiro um ano depois da instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Durante quatro meses, entre abril e julho de 2012, a cineasta e sua equipe acompanharam o cotidiano da favela que dá nome ao filme, em Santa Teresa, observando o processo de pacificação a partir do ponto de vista de moradores da comunidade e policiais.

Doméstica (2012)
75 min.
Dir. Gabriel Mascaro

Sete adolescentes registraram por uma semana a vida de suas empregadas domésticas e entregaram o material bruto para o diretor.

Linear (2012)
6 min.
Dir. Amir Admoni

A animação acompanha a rotina de um pequeno ser que carrega um rolo nas costas encharcado de tinta branca, e assim pinta as faixas de trânsito.

Mauro em Caiena (2012)
18 min.
Dir. Leonardo Mouramateus

Pátio (2013)
17 min.
Dir. Aly Muritiba

No Pátio joga-se bola, capoeira e fala-se de liberdade.

Uma história de amor e fúria (2012)
75 min.
Dir. Luiz Bolognesi

Vencedor do maior festival de animação do mundo, em Annecy, o filme conta momentos importantes da história do Brasil por meio de um personagem que está vivo há quase 600 anos. Com as vozes de Selton Mello, Camila Pitanga e Rodrigo Santoro.

Dossiê Rê Bordosa (2008)
16 min.
Dir. Cesar Cabral

Este documentário em animação stopmotion procura desvendar o mistério em torno da morte da personagem mais famosa de Angeli. Rê Bordosa é uma personagem fictícia de histórias em quadrinhos humorísticas criados pelo cartunista, mas foi “assassinada” pelo seu próprio autor. Ganhou Menção Honrosa no É Tudo Verdade 2008, Melhor Filme de Curta Metragem pelo Júri, Público e Crítica no I Festival de Cinema de Paulínia e Melhor Curta Metragem e Melhor Animação Brasileira no Anima Mundi 2008.

O Céu Sobre os Ombros (2011)
73 min.
Dir. Sérgio Borges

Vencedor do Festival de Brasília de 2010, o documentário conta a história de
uma transexual, um adepto da seita Hare Krishna, e um angolano com veleidades literárias.

Tropicália (2012)
87 min.
Dir. Marcelo Machado

O documentário analisa o movimento musical e artístico formado por artistas como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Os Mutantes, Hélio Oiticica e Tom Zé no final dos anos 1960.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: