As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Documentário “Sobral – O Homem Que Não Tinha Preço” será tema de debate na PUC Rio nesta terça-feira (5.11)

Adriana Plut

04 de novembro de 2013 | 23h20

Em “Sobral – O Homem Que Não Tinha Preço”, a diretora Paula Fiuza faz uma bela homenagem ao jurista Heráclito Fontoura Sobral Pinto, seu avô. A vida de Sobral é o fio que nos conduz por momentos-chave da história brasileira, do Estado Novo às Diretas Já: o caso de Olga Benário, mulher de Luiz Carlos Prestes enviada aos nazistas durante o governo Getúlio Vargas; a causa histórica em que Sobral defendeu Prestes e Harry Berger, líderes da Intentona Comunista de 1935; o assassinato do estudante Edson Luiz e diversos casos de tortura nos anos da ditadura militar. Neste retrato, Paula Fiuza mostra um homem que não se atinha a convicções ideológicas e colocava a defesa dos direitos humanos em primeiro lugar.
O documentário entrou em cartaz no dia 1 de novembro no Rio de Janeiro, em São Paulo, Brasília, Campinas, Belo Horizonte, Recife e Salvador. Nesta terça-feira “Sobral – O Homem Que Não Tinha Preço” será exibido na PUC Rio, às 11h, com sessão seguida de debate com a participação da diretora Paula Fiuza, de Waldih Damous, ex-presidente da OAB RJ e membro da comissão da Verdade do Rio e do advogado João Mestieri.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: