Não tente fazer isso no seu Kindle

Estadão

19 de janeiro de 2011 | 14h13

Como não tenho coragem de grifar livros nem a lápis, peguei essa mania de dobrar pontinhas de páginas quando algum parágrafo me chama a atenção. Só a beiradinha mesmo, coisa discreta, com dó no coração, para não estragar. A regra é meio aleatória: se o parágrafo ficar mais pra cima da página, dobro a ponta de cima; se ficar mais perto do pé, a de baixo; se ficar no meio… bem, sei lá. Não raro, ao terminar o livro nunca mais consigo descobrir por que exatamente dobrei aquela ponta, mas daí fico com pena de desmarcar e não ter a chance de saber que em algum momento um parágrafo foi importante para mim.

Assim sendo, minhas estantes estão cheios de livros com essas dobrinhas espalhadas pelas beiradas. Lembrei disso quando a Dani Arrais, nessa generosidade de quem garimpa tanta coisa incrível que pode se dar ao luxo de doar links a blogs-amigos, me mandou esses origamis em livros do Recyclart.

Vou ver se nas próximas leituras encontro mais trechos interessantes para tentar um desses.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.