Clarice. Ninguém lê?

Estadão

17 de fevereiro de 2011 | 19h20

Esses dias comentei no Twitter que feeds de notícias são um problema: quanto mais endereços você segue no seu Google Reader, mais você quer seguir e menos você consegue ler.

Desisti de zerar as notícias que entram no meu Google Reader depois que caí no vício de assinar Tumblr, esses blogs quase só de imagem que poderiam não acrescentar nada à vida de uma pessoa se não fossem irresistíveis. Dois bons exemplos são o Tô Gato?, uma compilação de pensamentos de “gigantes da literatura antes de sair pra balada” (com fotos acompanhadas de textos inspirados nas orelhas de seus livros) e o Morri e Não Li, uma seleção de “1001 livros para morrer antes de ler”.

Faz algumas semanas descobri o Writers No One Reads, achei divertido e assinei os feeds para ver que bicho saía desse mato. Entre os escritores que ninguém lê, apareceram ao longo dos dias nomes como Joseph von Eichendorff, Clemens Brentano e Michel de Ghelderode.

Não tendo lido nenhum deles, não tive ressalvas.

Qual não foi minha surpresa quando, minutos atrás, entrou no tumblr norte-americano o mais recente escritor que ninguém lê:

.

.

Pode isso, Arnaldo?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.