1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Séries de comédia da TV paga acirram concorrência pelo Emmy

PIYA SINHA-ROY - REUTERS

22 Agosto 2014 | 12h 23

Quando a série “Modern Family”, da rede norte-americana ABC, concorrer para seu quinto prêmio Emmy consecutivo de melhor comédia, na segunda-feira, não apenas disputará contra os adorados nerds da concorrente "Big Bang Theory”, da CBS, mas também contra um monte de personagens irreverentes da TV a cabo e do Netflix. 

Pela primeira vez na história do Emmy, as grandes redes estão em desvantagem numérica contra serviços de TV paga e “streaming" online na cobiçada categoria de melhor série de comédia, um sinal do crescente apetite por humor além dos confins da televisão aberta. 

Em 2010, “Modern Family” foi uma surpresa para muitos, com sua dinâmica de família contemporânea e casal gay, ao aparecer na ABC, rede pertencida à Walt Disney Co. Mas hoje, junto ao “Big Bang Theory”, da CBS, ela é considerada uma favorita para os eleitores do Emmy. 

Os baluartes da TV aberta foram seguidos por dois indicados anteriores da TV paga: a comédia negra e melancólica “Louie”, do FX, canal da Twenty-First Century Fox, e de “Veep”, da HBO, uma sátira política.

Além deles, há os novatos, como a sátira de tecnologia da HBO, “Silicon Valley”. 

“Para que as pessoas adorem o show, você precisa alienar algumas pessoas, e assim os shows da TV aberta geralmente têm um modelo de negócios onde eles vão bem no meio disso”, disse Alec Berg, produtor executivo de “Silicon Valley”, nomeado em sua primeira temporada. 

“Eles precisam conseguir o máximo das pessoas, mas infelizmente isso afasta as pessoas que são mais apaixonas."

A outra novata das comédias é "Orange Is the New Black”, a queridinha da programação original do Netflix no verão. A série é baseada em uma história de vida real sobre uma prisão de mulheres, com situações que frequentemente vão além das risadas. 

Até agora, “Sex and the City”, da HBO, é a única série da TV a cabo a vencer o Emmy de melhor comédia, em 2002. 

To date, HBO's sexually explicit female-driven "Sex and the City," which won the best comedy Emmy in 2002, is the only cable show to do so.