1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Rede de TV americana NBC vende US$1 bilhão em comerciais para a Olimpíada do Rio 2016

- Atualizado: 30 Março 2016 | 11h 19

Devido à pouca diferença de fuso horário entre o Brasil e os EUA, os Jogos do Rio terão mais competições que podem ser assistidas ao vivo

NOVA YORK - A rede de televisão norte-americana NBC, uma unidade de Comcast Corp, disse ter vendido US$ 1 bilhão em comerciais para a Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016, e se prepara para a ocasião rara de poder transmitir algumas das competições mais importantes ao vivo no horário nobre.

Em um comunicado, a NBC informou nesta terça-feira, 29, que os Jogos, que começam no dia 5 de agosto, prometem gerar a maior venda de comerciais de Olimpíada em toda a história. A cifra inclui a venda de comerciais na TV tradicional, a cabo e digital, segundo a empresa.

Vista aérea do Estádio do Maracanã
Vista aérea do Estádio do Maracanã
"Superamos a marca de US$ 1 bilhão quatro meses antes de Londres (que sediou a Olimpíada de 2012)", disse Seth Winter, vice-presidente executivo de venda de comerciais da NBC Sports, em um comunicado.

Devido à pouca diferença de fuso horário entre o Brasil e os EUA, os Jogos do Rio terão mais competições que podem ser assistidas ao vivo pelos norte-americanos ao longo de 17 noites consecutivas em agosto, como as de atletismo e natação, do que as da capital inglesa.

Os anunciantes dos EUA já adquiriram parte dos intervalos, mas ainda há alguns horários disponíveis no principal canal da NBC e em alguns canais a cabo, de acordo com a emissora.

A rede ainda não revelou seus planos de transmissão por streaming pela Internet, mas disse que a venda de comerciais para a mídia digital vai bem. A transmissão de eventos ao vivo por streaming na Olimpíada de Inverno de 2014 em Sochi rendeu dezenas de milhões de dólares em comerciais.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX