Assine o Estadão
assine

Cultura

TV Globo

Ministério Público investiga TV Globo por discriminação racial

De acordo com reclamações, objeto reforça estigma de comparação entre o cabelo crespo e uma esponja de aço e amplia preconceito contra o negro

0

Fábio Grellet,
O Estado de S.Paulo

04 Fevereiro 2016 | 10h19

RIO - O uso de um boneco de estética negra como esponja de lavar louças, no programa Big Brother Brasil 16, levou a TV Globo a ser investigada pelo Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF-RJ) por suspeita de discriminação racial.

Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão enviou ofício à emissora, intimando-a a prestar esclarecimentos dentro do procedimento preparatório instaurado pelo órgão.

Desde que o programa começou e o boneco foi exibido, diversas representações contra a TV Globo foram recebidas pela seção de atendimento ao cidadão do Ministério Público Federal. Em geral, todas alegaram que o objeto reforça um estigma de comparação entre o cabelo crespo e uma esponja de aço e amplia o preconceito contra o negro no Brasil.

Antes da instauração do procedimento pelo MPF, embora já houvesse repercussão popular contra o utensílio, a Rede Globo havia informado que não tinha a intenção de retirá-lo do programa. Procurada pela reportagem nesta quarta-feira (3), a emissora carioca informou que "a esponja citada, representando um dançarino disco dos anos 1970, faz parte de uma coleção que retrata ícones de gerações e culturas diversas, como uma moça descolada dos anos 60, um soldado da guarda inglesa e até a rainha Elizabeth". Segundo a Globo, os "outros modelos estão sendo colocados na casa conforme as necessidades de uso e já podem ser vistos no ar". Na nota encaminhada ao Estado, a emissora não comentou a iniciativa do MPF-RJ.

 

Mais conteúdo sobre:

Comentários