Assine o Estadão
assine

Cultura

Televisão

'Malhação' vai ganhar o status de 'Glee'

Pausa imposta pela Copa permitirá preparar elenco novatos com aula

0

Cristina Padiglione,
Rio - O Estado de S. Paulo

07 Junho 2014 | 16h00

Uma das “vítimas” da Copa do Mundo na grade de programação da TV, Malhação ficará fora do ar por um mês e promete se beneficiar do regime de exposição. A direção da Globo resolveu aproveitar a pausa para investir, como nunca antes nos quase 20 anos da novela teen, na preparação de um elenco que normalmente se apresenta quase cru diante das câmeras. Agora, diretores e roteiristas encontraram tempo para produzir uma espécie de Glee (seriado americano) nos bastidores, oferecendo ao cast novato aulas de dança, lutas marciais, canto e teatro, com direito a leitura de texto - um luxo para uma produção televisiva de ritmo diário.

“Com essa mudança por causa da Copa, tivemos um carimbo da Globo para investir na preparação, na qualificação do elenco, da história e da direção”, disse ao Estado o diretor de Núcleo de Malhação, José Alvarenga Jr. “Essa coisa de falar que Malhação é celeiro de novos talentos dá a sensação de uma coisa muito rude que vai ser lapidado”, continua. “Agora, não acho que no final eles vão estar prontos, eles já estão prontos. Acabou a fase dos experimentos.”

 

O título também ganha novos equipamentos, como câmeras F35, de tecnologia melhor que as lentes da temporada atual. E a cidade cenográfica, diferentemente do habitual, foi construída com todos os cenários internos, que ficarão permanentemente montados.

“A cidade cenográfica não é só madeira que vai apodrecer daqui a seis meses. E vamos ter o elenco disponível pra filmar e rodar do jeito que quisermos: esse é um formato de produção inovador, que nunca foi feito aqui no Projac, já que os cenários são montados e desmontados diariamente.” 

Diretor-geral de Malhação, Luiz Henrique Rios confirma que a nova concepção conspira a favor do “formato americano” de seriados, que “tem o estúdio, onde há os cenários fixos, sempre montados, e uma cidade cenográfica em volta”. 

Assinado por Rosane Svartman e Paulo Halm, ambos credenciados pelos scripts de cinema, o enredo tem como palco uma antiga fábrica herdada por alguém que construiu, no seu segundo andar, uma escola de artes, com aulas de dança, canto e teatro. Já o primeiro andar está alugado para uma escola de artes marciais - muay thai e jiu-jítsu. “A partir dessa polaridade entre a arte-criação e a arte-marcial, a gente constrói nossa história”, relata Rios. “Esse lugar interage, rivaliza e harmoniza.”

Para tanto, Rios precisava de jovens que cantassem, dançassem ou tivessem “uma tonicidade” para a luta, e que interpretassem, claro. A pesquisa de elenco começou há um ano, resultando em cerca de 600 vídeos pelo Brasil. “Desses, assisti a uns 350 e dali separamos 40 para os testes. A gente tem uma escola e tivemos que montar uma escola por trás da escola.”

Além da preparadora de elenco e dos coachs de dança e canto, Malhação recebe atenção especial no quesito “acompanhamento pessoal”. Segundo Alvarenga e Rios, os jovens têm assistência social e psicológica, aprendendo desde cedo a lidar com o ego e a própria imagem, o que passa por treinamento para se relacionar com a imprensa.

“Do primeiro ao último dia, trabalhamos três coisas: o desenvolvimento dos personagens, a manutenção de uma estrutura de coesão - a ideia de que não há como ser protagonista sem o seu coadjuvante - e acompanhamento pessoal, nosso e da TV Globo”, diz Rios. “Hoje existe um acompanhamento na TV Globo que presta um processo de apoio aos atores permanente.” Alvarenga completa: “Tudo é checado: escola, assistência social, apoio à família... Vemos se o ator está bem no grupo, se chega atrasado, se briga, há um caminho para o profissionalismo. O interesse da Globo é profissionalizar essa turma jovem, que está diante de um mundo vasto e sedutor”. 

Ao visitar o canteiro de obras da nova Malhação, a reportagem do Estado encontrou um grupo de atores em plena leitura de texto, e outro dedicado à dança. A nova temporada conta com Eriberto Leão, Marcelo Farias, Emanuelle Araújo e Léo Jaime, Patrícia França, Felipe Camargo e Mário Frias, além dos novatos Rafael Vitti (filho dos atores João Vitti e Valéria Alencar), Cadu Libonatti (neto de Irene Ravache), Arthur Aguiar, Bruna Hamu, Isabella Santoni, Jeniffer Nascimento, Antonio Carlos e Guilherme Hamacek.

Mais conteúdo sobre: