'Graceland' mostra dia a dia de agentes policiais disfarçados na praia

Série que estreia no Braisl neste domingo, no canal FX, não parece, mas é uma produção policial

João Fernando, O Estado de S. Paulo

07 Junho 2014 | 16h00

Esqueça aqueles policiais mal cuidados ou fora de forma, que circulam com roupas formais e escuras, comuns em outras séries do gênero. Em Graceland, exibida no canal FX a partir de hoje, às 10 horas - horário não muito condizente para uma produção desse tipo, todos os agentes são sarados e vão desfilar seus corpos pela praia.

 

Criada e produzida por Jeff Eastin, também responsável por White Collar, a trama gira em torno de integrantes de diferentes divisões do FBI, Força Administrativa de Narcóticos e da alfândega norte-americana, que passam a viver disfarçados em uma casa à beira do Pacífico, ao sul da Califórnia. Lá, eles têm de se infiltrar em outros grupos para agilizar a investigação de crimes. Para não levantar suspeitas, os policiais passam parte do tempo pegando onda e exibindo o físico.

A história começa com a chegada do novato Mike Warren (Aaron Tveit), surpreso ao saber que será transferido para uma casa de praia. Ao pisar no novo local de trabalho, ele não tem uma recepção calorosa dos colegas, cujas tarefas da casa são divididas em um organograma pendurado na parede. O imóvel que dá título à série também tem uma explicação. Batizada com o mesmo nome da residência de Elvis Presley, na cidade de Memphis, a casa era propriedade de um traficante de drogas obcecado pelo cantor, que foi tomada pelo governo.

Com planos de seguir carreira em Washington, Mike vê o sonho ir por água abaixo quando vai parar em Graceland. Apesar de estar sob os cuidados de Paul Briggs (Daniel Sunjata), veterano da casa com a missão de treinar o calouro, o protagonista recebe dos superiores a missão de investigar a vida de seu mentor, por quem ele tem admiração. O problema é que Briggs está sob suspeita de estar saindo da linha, mesmo com a boa fama que deixou na época em que dava expediente no serviço de inteligência do governo. Sem paciência com o recém-chegado, ele não facilitará a vida de Mike.

Os policiais da casa têm personalidades completamente diferentes. Quem se alia ao novato é Joe Tuturro (Manny Montana), responsável pelos momentos de descontração. Egresso da marinha antes de fazer parte do FBI, ele têm habilidades para atividades aquáticas e sabe desarmar bombas. Entre os que se destacam está Catherine Charlie Demarco (Vanessa Ferlit). Rainha dos disfarces, ela consegue se passar por viciada em drogas ou por executiva, o que deixa o protagonista confuso já no primeiro episódio.

Chamada nos Estados Unidos de série de céu azul, por causa de suas paisagens deslumbrantes, cenas rodadas fora do estúdio e à beira-mar, Graceland terá a segunda temporada exibida esta semana por lá. A primeira etapa chega ao Brasil com um ano de atraso em relação à estreia original. Apesar de ter sido produzida pelos estúdios Fox e ir aro ar em canal do mesmo grupo por aqui, a atração passa pelo mesmo problema que outras séries. Quando rodadas, produções de TV têm um processo de distribuição internacional, em que não necessariamente vão ao ar pela mesma empresa, o que pode retardar a estreia em outros países.

Mais conteúdo sobre:
Televisão Série Graceland

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.