David R. Legge/The Washington Post
David R. Legge/The Washington Post

Ben Bradlee, editor do 'Washington Post' no caso Watergate, é personagem de documentário da HBO

Produção aborda as diversas facetas do jornalista que sempre buscava a verdade

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2018 | 19h07

Que outro jornalista teria o privilégio de ser interpretado por dois astros como Jason Robards e Tom Hanks? Só mesmo Ben Bradlee, personagem de Todos os Homens do Presidente, de Alan Pakula, e do recente The Post - A Guerra Secreta, que concorre ao Oscar no dia 4 de março. Benjamin Crowninshield Bradlee (1921-2014) foi mesmo uma figuraça, como se pode comprovar no documentário O Homem do Jornal: A Vida de Ben Bradlee, de John Maggio (na HBO).

+++ 'The Post' é defesa da liberdade, da ética e do poder feminino

De família e porte aristocráticos, o jovem Bradlee foi formado na cultura puritana de Boston. Ele mesmo diz que se casou com a primeira moça que namorou. Teve poliomielite na infância, superou-se, virou atleta, esteve na guerra, acumulou experiência e retornou são e salvo aos Estados Unidos. Então tirou a sorte grande ao ser convidado como correspondente da revista Newsweek em Paris.

+++ Casa Branca homenageia ex-editor do 'Post'

Paris é sempre uma festa de civilização para quem sabe aproveitá-la. Ainda mais a Paris do pós-guerra, quando Sartre, Simone de Beauvoir e Marcel Camus podiam ser encontrados nos cabarés ouvindo Juliette Gréco. O jovem Bradlee voltou da Europa mais culto e mais aberto. Regressou também com esposa nova, que conhecera nos embalos tanto da Rive Gauche quanto da Rive Droite. 

+++ Meryl Streep e Tom Hanks falam sobre 'The Post - A Guerra Secreta'

O filme o mostra na vida mundana e deliciosa dos anos de ouro, em festas, flertando com as damas e cultivando amizade íntima com os Kennedys. Mesmo depois de John Kennedy ser eleito, a intimidade continuou, apesar de o priápico presidente dar em cima da esposa do amigo de um jeito que, hoje, lhe custaria processo por assédio. 

+++ Em 'The Post', Meryl Streep é a Mulher-Maravilha de Steven Spielberg

A celebridade de Bradlee vem de duas coberturas sensacionais bancadas por ele no tempo em que era editor do The Washington Post. A divulgação dos Papéis do Pentágono abalou o governo de Richard Nixon e o Caso Watergate acabou por derrubá-lo. Os casos são narrados pelo próprio Bradlee e também por seus protagonistas, os repórteres vedetes Bob Woodward e Carl Berstein. O próprio Henry Kissinger, então secretário de Estado, vem dar seu pitaco. 

O documentário aborda as diversas facetas de Bradlee, do sedutor ao implacável homem de jornal, em estado permanente de “busca da verdade”. Ouvimos tudo de sua própria voz: do seu grande êxito nos dois momentos maiores de sua carreira ao ponto mais baixo, quando o Post publicou uma série de reportagens indicada para o Pulitzer que, comprovou-se, haviam sido forjadas pela repórter. Do limão azedo, o Post fez uma limonada pouco usual na imprensa: assumiu o engano em matéria de capa seguida de quatro páginas internas. Um exemplo de transparência. 

No sucesso como na queda, Bradlee comportou-se com elegância, como parece dizer este belo documentário sobre um jornalista old school que, soldado exemplar, fez muito mais do que exigia o seu dever.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.