NBC - © NBC Universal, Inc.
NBC - © NBC Universal, Inc.

A volta de 'Will & Grace': tudo que sabemos até agora

Série retorna no dia 28 de setembro para uma temporada de 16 episódios

Maia Silber, The Washington Post

08 Agosto 2017 | 11h48

Em 2012, o vice-presidente Joe Biden disse que estava “totalmente à vontade” com o casamento entre pessoas do mesmo sexo e citou um único programa de televisão como razão. “Acho que Will & Grace fez mais para esclarecer o público norte-americano do que qualquer outra coisa que alguém tenha feito”, disse. O presidente Barack Obama deu sua própria declaração de apoio alguns dias mais tarde e a Corte Suprema fez o mesmo em 2013.

Quatro anos depois, Will & Grace voltará no dia 28 de setembro para uma temporada de 16 episódios. Veja o que sabemos até agora:

Já foi renovada para uma segunda temporada.

Sim, é isso mesmo.

Megan Mullally teve a ideia.

A inspiração para reviver o programa veio, segundo a equipe, depois que o elenco reuniu-se para filmar um divertido vídeo que se tornou viral, cutucando Donald Trump antes da eleição presidencial de 2016.

“Mandei um e-mail a Max e disse: ‘por que não podemos fazer o programa de novo? ’” contou Mullally, referindo-se a um dos criadores da série, Max Mutchnick, como informou reportagem da Entertainment Weekly. “E ele respondeu logo em seguida, dizendo ‘Nós podemos!’”.

Vamos ignorar o final da série.

O encerramento da série de 2006 deu um salto no tempo mostrando Will e Grace 20 anos no futuro, deixando os filhos na faculdade. O revival mostrará Will e Grace solteiros e morando juntos, devido a circunstâncias que, segundo Mutchnick, o primeiro episódio da temporada explicará. Embora a dinâmica entre os quatro principais personagens do programa não mudará, os criadores da série dizem que os novos episódios vão mostrá-los respondendo a desafios contemporâneos.

“Aqueles quatro amigos passam por experiências de vida nos Estados Unidos, de uma forma muito semelhante às de outras pessoas no país,” disse Mutchnick em um videoclipe postado pela Entertainment Weekly.

Provavelmente vai se tornar política – mas não política demais.

Mullally brincou que sua personagem, revelada no vídeo pré-eleitoral será amiga de “Donny e Melania” e como eleitora de Trump, poderá buscar por um papel na Casa Branca. “Meu Deus, pode ser o novo Sean Spicer”, ela disse aos repórteres depois da apresentação de quinta-feira, segundo a Entertainment Weekly. Karen não tem o menor problema em ser antiética de qualquer modo, forma ou jeito, portanto, é perfeita para o papel. “E é um trabalho que pode só durar 10 dias”.

Os criadores e o elenco dizem que a série vai continuar com foco principalmente nos personagens e em seus relacionamentos, não em notícias. “O programa não é sobre Trump ou Clinton, é sobre nós”, disse o integrante do elenco Sean Hayes em um videoclipe postado pela Entertainment Weekly.

Os integrantes do elenco esperam que o programa dê aos espectadores uma pausa muito necessária no ciclo de notícias 24 horas. “Quero as pessoas rindo agora”, disse a estrela Debra Messing, como noticiado no Entertainment Tonight. “Foi por essa razão que eu quis voltar”.

Pode tornar-se mais diversificado.

O elenco e a equipe de criação também responderam perguntas sobre como abordarão aspectos do programa que poderão parecer “datados” em 2017. Will & Grace foi criticado pelo seu elenco majoritariamente branco e piadas visando transexuais. “Quando começamos era revolucionário ter dois personagens gays”, disse Messenger, segundo Vox. “Nós éramos LGB, mas paramos no B. Minha esperança é que agora possamos terminar o alfabeto”.

A equipe de criação foi evasiva quando lhes foi perguntado se agora serão trazidos mais personagens não brancos. Os personagens “estarão envolvidos em situações que necessariamente precisarão de um elenco mais diversificado”, disse um dos criadores David Kohn, segundo a plataforma multimídia Paste.

Parte dos atores não estará presente.

O programa também perderá dois personagens que estavam entre os favoritos dos fãs. Shelley Morrison, que interpretava a empregada de Karen, Rosário, não repetirá seu papel na volta. “Shelley decidiu aposentar-se”, disse Mutchnick, segundo Hollywood Reporter. “Nós realmente queríamos que Shelley participasse da série, e foi preciso resolver como seguir adiante”.

Os roteiristas também enfrentam a ausência da mãe de Grace, interpretada por Debbie Reynolds, que faleceu em dezembro. Reynolds conquistou uma indicação ao Emmy como melhor atriz convidada pelo seu papel na série em 2000.

Mas será semelhante ao programa que você adorava.

Em maio, a NBC divulgou um longo trailer para o revival, mostrando Debra Messing e o companheiro Eric McCormack passeando pela antiga locação, nos estúdios da NBC. Messing mostra hesitação em reviver o programa. “E se alguma coisa fundamental mudou?”, ela pergunta a McCormack.

Mullally salta do sofá do cenário, onde estava tirando uma soneca depois de uma noitada.

“Nada mudou”, garante McCormack. / TRADUÇÃO DE CLAUDIA BOZZO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.