Pedro Saad/Netflix
Pedro Saad/Netflix

50% de todas as horas assistidas de '3%' na Netflix são provenientes de mercados internacionais

Além disso, '3%' é a a série de língua não-inglesa mais assistida dos EUA.

Pedro Rocha, Especial para o Estado

16 Março 2017 | 10h33

A primeira série original brasileira da Netflix, 3%, é um sucesso não apenas em nosso País, mas também em todo o mundo. Segundo um levantamento do serviço de streaming divulgado nesta quinta-feira, 16, ao Estado, mais de 50% de todas as horas assistidas da série são provenientes de mercados internacionais. 

De acordo com a Netflix, mesmo quatros meses após o seu lançemento, 3% conta com um grande número de espectadores em países como espectadores na Austrália, Canadá, França, Itália, Coréia do Sul e Turquia. Nos Estados Unidos, é a série de língua não-inglesa mais assistida do país. 

“A série foi amplamente vista fora do Brasil em diversos países, o que nos mostra que há sempre um público para uma grande narrativa, seja com conteúdo produzido nos Estados Unidos, Brasil, Singapura, Austrália, Índia ou no Oriente Médio”, diz Erik Barmack, vice-presidente de Originais Internacionais da Netflix. "O sucesso da série em todo o mundo nos levou a confirmar a segunda temporada assim que a série foi lançada."

O serviço de streaming credita ainda o sucesso da série à sua narrativa, ambientada num mundo pós-apocalíptico onde os cidadãos se submetem ao Processo para tentar chegar ao "Maralto", lugar repleto de oportunidades para uma vida digna. Acontece que 3% dos candidatos são bem sucedidos.

"Os produtores, diretores e elenco brasileiros de 3% construíram uma série atraente que questiona a dinâmica da sociedade ao colocar os personagens em um processo de sobrevivência cruel para chegar ao ‘outro lado’", analisa Barmack. "Isso criou uma empatia com públicos do mundo todo."

Dirigida por Cesar Charlone e escrito por Pedro Aguilera, a primeira temporada da série 3% já está disponível na Netflix. A segunda foi confirmada no final do ano passado. 

 

Mais conteúdo sobre:
Netflix Estados Unidos Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.