Daniel Rocha
Daniel Rocha

Teatro anuncia criação de espaço multicultural

Além da programação de espetáculos, projeto inclui reforma e local para exposições a partir de 2018

Leandro Nunes, O Estado de S.Paulo

13 Outubro 2017 | 04h00

Nos preparativos para a estreia do espetáculo Céus, texto do libanês Wajdi Mouawad, e com direção de Aderbal Freire-Filho, que entra em cartaz no dia 27 de outubro, o Teatro Vivo anuncia uma série de reformulações no espaço aberto há 13 anos no Morumbi.

O objetivo principal foi entender os hábitos do público e descobrir como estar sintonizado ao entorno, conta o novo curador André Acioli. “Foi criado um estigma de que estamos fora do circuito cultural por estarmos longe do centro. O trânsito também é tido como um obstáculo, mas a questão é que estamos próximos de grandes teatros como o Alfa e até mesmo a Rede Globo. Existe um movimento cultural muito intenso nessa região.”

A solução foi criar uma agenda mais flexível na programação. Agora, às sextas-feiras, as sessões começam mais cedo - às 20h, e não mais às 21h30, como era antes. No sábado, as portas do teatro se abrem às 20h, e nos domingos, às 18h. “Queremos pegar o público que acabou de sair do trabalho, e ao invés de ir para casa, pode ficar no teatro e assistir a um espetáculos, tendo a chance de estender a noite nos restaurantes da região”, acrescenta Acioli.

No fim do ano, o Teatro Vivo fará uma pausa para obras, que pretendem atualizar os equipamento da sala que recebeu mais de 14 mil pessoas nos últimos 12 meses, explica o COO Christian Gebara. “A reformas acontecerão no primeiro trimestre de 2018, com a revitalização dos ambientes, nova iluminação e sistema de som e também um novo café.” Também está previsto um espaço direcionado para exposições de arte, a realização de debates e bate-papos com os artistas em cartaz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.