Caio Gallucci
Caio Gallucci

‘Rent’ volta aos palcos de São Paulo

Musical que criou uma verdadeira devoção entre os jovens retorna em cartaz, agora no Teatro Faap, novamente em horários alternativos

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

05 Setembro 2017 | 06h00

Em pouco tempo, o sucesso atingiu um grau superior – o da devoção. Tanto que, nas últimas sessões, o musical Rent atraiu um público fiel, capaz de reproduzir diálogos com fidelidade e de trazer presentes para os personagens e não para os atores que os interpretavam.

É com tal carga afetiva que Rent volta em cartaz hoje, 5, no Teatro Faap para uma temporada às 3ª e 4ª feiras, às 20h. Os dias alternativos mantêm a fidelidade à gênese do projeto: formados por profissionais devotados a esse musical, elenco, músicos e equipe técnica dedicam-se a Rent nos dias que não atrapalham sua participação em outras produções. É essa entrega pela arte – algo cada vez mais raro em um mundo marcado pela economia – que garante o charme do espetáculo e permite que os atores revelem a extensão de seu talento.

“Realizar essa produção era o sonho de muita gente, por isso foi possível”, atesta a produtora Bel Gomes, que se uniu ao ator Bruno Narchi na empreitada.

Juntos, levantaram a produção mesmo contra o tradicional olhar obtuso de certos financiadores, que temem associar sua marca a cenas de sexo e não percebem que, com isso, desprezam obras consagradas.

Afinal, desde sua estreia na Broadway, em 1996, Rent é um hino de celebração da vida. Narchi vive Mark, jovem cineasta que quer se tornar famoso após dirigir um grande filme. Ele divide um apartamento com Roger (Thiago Machado), músico que integrou uma banda de punk rock, mas perdeu sua inspiração ao se ver diante da morte. Eles enfrentam o problema do atraso do aluguel, cobrado por Benny (Mauro Sousa), antigo amigo e agora proprietário do imóvel. E, ao lado do edifício, estão acampados vários sem-teto. Uma encantadora história de superação.

Mais conteúdo sobre:
Teatro Faap Teatro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.