LEO AVERSA/DIVULGAÇÃO
LEO AVERSA/DIVULGAÇÃO

Diretor do musical 'Nine', Charles Möeller exibe sua frenética e criativa imaginação

Pesquisador obsessivo, encenador preenche cadernos com suas anotações, que agora serão lançadas em livro

Ubiratan Brasil, O Estado de S. Paulo

10 Maio 2015 | 05h00

O método de trabalho de Charles Möeller é febril, criativo, intenso. Quando define o próximo projeto que vai desenvolver ao lado de Claudio Botelho (Nine é o 35.º musical juntos), ele inicia uma pesquisa que se desenvolve em camadas, partindo do texto original e se desdobrando para assuntos correlatos e complementares. 

Foi assim, por exemplo, em 2010, quando a dupla montou Hair – Möeller encontrou paralelos na mensagem de paz dos hippies com Shakespeare e o cristianismo. Agora, com Nine, suas aventuras no vasto território da pesquisa o levaram ao mundo do inconsciente coletivo do psicólogo suíço Carl Gustav Jung (1875-1961).

Suas descobertas são documentadas em cadernos, vários deles, preenchidos como um diário de bordo e que, ao final, quando o espetáculo está pronto, os volumes se tornam preciosos documentos – a ponto de interessarem a editora Réptil, que vai logo lançá-los como livros.

“Quando criança, era muito disperso, o que me obrigava a ser obstinado pela pesquisa quando necessário”, explica Möeller, que implantou o mesmo ritmo na criação e direção de Acredite na Peruca, série que estreia no Multishow, no dia 18, estrelado por Luiz Fernando Guimarães.

“Quando fui convidado, respondi que só aceitaria com liberdade de criação”, conta o diretor. “Comecei a escrever o roteiro e logo contei com a ajuda de uma auxiliar, indicada pela emissora, mas preferi seguir sozinho na missão.”

Resultado: em seis meses de trabalho, que consumiu em média 13 horas por dia, foram escritas exatas 3.763 páginas. “Mais que uma novela da Globo”, brinca Möeller, que deixou prontos 20 episódios nos quais praticamente não faz nenhuma concessão. “À primeira vista, todos os personagens são ardilosos, o que pode até surpreender algumas pessoas.”

A série segue a bem-vinda linha de experimentação do Multishow, que vem apostando em vários formatos, especialmente no humor. Tanto que, questionado sobre qual linguagem adotou para Acredita na Peruca, o diretor/roteirista foi definitivo na ambiguidade: “Tem teatro, também TV e ainda o meio-termo entre ambos”, diverte-se

Aos 48 anos, Möeller é um artista de conquistas plenas. Iniciou a carreira muito jovem, aos 13, como ator, tornando-se logo um galã de novela da TV. No teatro, trabalhou com Antunes Filho, entre outros, mas descobriu o musical como meio ideal para sua profusão de talentos, conciliando direção com cenografia e figurinista.

Mais conteúdo sobre:
Federico Fellini Charles Möeller

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.