AFP PHOTO / DOMINIQUE FAGET
AFP PHOTO / DOMINIQUE FAGET

Bailarinos da Ópera de Paris denunciam intimidação e assédio

Pelo menos um quarto dos dançarinos da companhia afirmaram terem sido vítimas de assédio sexual ou terem visto um ato desse tipo

AFP

16 Abril 2018 | 15h45

PARIS — Uma pesquisa inédita realizada entre os bailarinos na prestigioso balé da Ópera de Paris trouxe à tona denúncias generalizadas de intimidação e assédio sexual, assim como preocupações sobre a gestão de sua diretora artística, Aurélie Dupont.

Na pesquisa sem identificação dos entrevistados — a AFP obteve uma cópia —, 90% das pessoas avaliaram que a companhia está sendo mal conduzida, 77% afirmaram ter sido vítima de assédio moral ou presenciado práticas de intimidação.

Na pesquisa, 26% dos 132 bailarinos denunciaram ter sido vítimas de assédio sexual ou testemunhado um ato desse tipo.

O diretor da Ópera de Paris, Stephane Lissner, se mostrou surpreso que a pesquisa, realizada por um organismo interno que representa os bailarinos, tenha sido vazada para a imprensa.

Lissner disse que tem a maior confiança em Aurélie Dupont, uma ex-bailarina de destaque no grupo, sucessora de Benjamin Millepied, que se demitiu há dois anos depois de uma série de desavenças dentro da prestigiada instituição de dança clássica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.