Presença de Nando Reis reflete uma intensa convivência

Músico que trabalhou com Cássia Eller em seus últimos anos de vida é o compositor com mais canções no espetáculo

Renato Vieira, O Estado de S. Paulo

07 Setembro 2014 | 03h00

 Os mundos de Cássia Eller e Nando Reis ficaram completos quando os dois venceram a mútua timidez inicial e passaram a trabalhar juntos, a partir de 1999. Nem a morte da cantora, dois anos depois, interrompeu a parceria, que se estendeu para lançamentos póstumos que revelaram hits como All Star, música que versa sobre a aproximação dos dois e que garante um momento de grande dramaticidade em Cássia Eller - O Musical. 

Nando é o autor com mais composições no espetáculo. São sete, incluindo a vinheta de Infernal. Para ele, o texto reflete a intensidade de seu convívio com a cantora. “No final da vida dela, estávamos muito envolvidos, o tempo todo juntos, trabalhando. Eu sempre me senti em um não-lugar, Cássia também. Esse deslocamento foi o que nos aproximou”, conta. 

O músico esteve presente na estreia no Rio e ficou impressionado com as atuações de Tacy de Campos, intérprete de Cássia, e de Emerson Espíndola, que assume o papel de Nando. “Ela tem um timbre muito parecido com o da Cássia, foi surpreendente. A Cássia foi a Cássia, mas ela fez um ótimo trabalho. E os dois juntos têm momentos muito bonitos.”

Outro aspecto ressaltado por Nando em relação a Cassia Eller - O Musical é o envolvimento de Lanlan e Fernando Nunes, que trabalharam com a cantora, na direção musical do espetáculo. “A presença dos dois é muito importante na condução da personagem. Era algo fundamental para se entender como ela era e o que pensava.” Enquanto assistia ao musical, Nando diz ter sentido ‘uma baita saudade’, por considerar que o texto deixa explícito que a cantora ainda tinha muito a fazer.

Cássia gravou Nando pela primeira vez em 1994. E.C.T., dele, de Marisa Monte e Carlinhos Brown, foi um dos destaques do terceiro álbum da carreira, Cássia Eller (1994). A música ganhou as rádios e fez com que ela assumisse um caminho pop evitado nos discos anteriores, calcados em compositores da Vanguarda Paulista. O registro de Nenhum Roberto veio em 1996. Até então, os dois se admiravam em silêncio.

Nando lembra que a aproximação era difícil pela distância. Ela morava no Rio e ele, em São Paulo. Mas, quando Cássia o convidou para produzir Com Você... Meu Mundo Ficaria Completo (1999), a relação se estreitou, fazendo da cantora, ao lado de Marisa Monte, sua grande intérprete. Relicário e Luz dos Olhos, ambas de sua autoria, foram incluídas no Acústico MTV - também com produção de Nando - e tocavam nas rádios quando Cássia morreu. “O tempo atenua as dores. Mas também mostra um pouco como as coisas que fizemos permaneceram.”

Mais conteúdo sobre:
Nando Reis Cássia Eller

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.