Youssef Boudlal/Reuters
Youssef Boudlal/Reuters

Wiz Khalifa é acusado de plágio

Músico teria incorporado parte da letra e o refrão de outra música a 'Most of Us'

Reuters

02 Fevereiro 2018 | 16h37

NOVA YORK - O rapper Wiz Khalifa foi acusado em uma ação civil de copiar grande parte de sua canção Most of Us, de 2016, de uma composição de mesmo nome de outro rapper feita seis anos antes.

+++ 'See You Again', de Wiz Khalifa, se torna vídeo mais visto da história do YouTube

A versão de Khalifa “copia inconfundivelmente os elementos essenciais” da canção de Cymple Man, de acordo com uma queixa registrada na quinta-feira no tribunal federal de Manhattan contra Khalifa e suas gravadoras, inclusive a Atlantic Records, do Warner Music Group.

+++ Sean 'Diddy' Combs é o artista de hip-hop mais bem pago do último ano

Uma porta-voz de Khalifa não respondeu de imediato a pedidos de comentário, e a Atlantic Records não tinha comentário a fazer de imediato.

+++ Wiz Khalifa se aproxima do pop e volta a São Paulo hoje e testa a força do hit 'See You Again'

Cymple Man, cujo nome é Dustin Bennett, disse ter dado uma cópia de Most of Us a Khalifa em 2012, no Aeroporto Internacional de Salt Lake City, enquanto ambos viajavam para fazer apresentações, para Khalifa decidir se os dois deveriam trabalhar juntos.

Khalifa nunca respondeu, mas incorporou parte da letra e o refrão à sua própria composição sem permissão nem pagamento de direitos autorais, segundo a acusação.

“Além disso, Khalifa utiliza o termo "most of us" (a maioria de nós) para apresentar ao público o mesmo tema de comportamento pecaminoso com a mesma expressão” de uma maneira "caracteristicamente original do trabalho de Bennett", segundo a ação civil.

O demandante, que mora no sudeste da Geórgia, disse ter registrado os direitos autorais da canção em março de 2010, e que os réus se recusaram a apresentar qualquer acordo de licenciamento ou direitos autorais.

 

Mais conteúdo sobre:
Wiz Khalifa música rap

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.