Don Emmert/AFP
Don Emmert/AFP

"Vivia em negação e isolada", diz Mariah Carey sobre transtorno bipolar

Cantora de 48 resolveu tornar pública a sua batalha contra o transtorno, diagnosticado em 2001

AFP

12 Abril 2018 | 10h42

A estrela do pop Mariah Carey revelou em entrevista à revista People que tem lutado nos últimos anos contra um transtorno bipolar, que hoje controla com medicação. A cantora revelou que foi diagnosticada em 2001.

"Não acreditei, não queria acreditar, não queria carregar o estigma de uma doença crônica que me definiria e, possivelmente, acabaria com minha carreira", revelou a cantora de 48 anos, que após os "mais duros anos" decidiu contar sua história. "Estou bem agora e cômoda discutindo minha luta contra o transtorno bipolar".

Carey tem transtorno bipolar tipo II, que segundo a clínica Mayo se caracteriza por episódios hipomaníacos e depressivos. "Meus episódios depressivos se caracterizavam por pouca energia. Me sentia cansada, só, triste e até culpada por não estar fazendo o que era necessário para minha carreira", revelou Carey, uma das cantoras de maior sucesso de todos os tempos, com mais de 200 álbuns vendidos.

"Vivia em negação e isolada, e com muito medo de que alguém revelasse minha situação. Era um peso muito grande que carregava e já não aguentava mais. Procurei e recebi tratamento, me cerquei de gente positiva e estou de volta fazendo o que mais amo, escrever canções e fazer música".

Mais conteúdo sobre:
Mariah Carey

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.