Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Roberta Martinelli, da 'Rádio Eldorado', estreia coluna no 'Caderno 2'

'Som a Pino' trará clássicos e novos artistas da música brasileira

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2016 | 03h00

Um lugar democrático e de alto nível entre o independente e o mainstream. Assim a apresentadora da Rádio Eldorado Roberta Martinelli, que estreia nesta quinta-feira, 6, a coluna Som a Pino, nas páginas do Caderno 2, classifica seu mais novo espaço de âmbito musical. “A Rádio Eldorado toca muita música nova, porém, internacional. Pelo fato de não ser a nossa língua, a gente acaba aceitando melhor. Não gosto quando as pessoas falam que não se faz mais música como antigamente. Isso não é verdade. Não se faz mais música como antigamente apenas na forma de produção, com a gravadora gerindo tudo. Com isso eu concordo. Mas, em termos de qualidade, existe muita coisa boa. Falta, na verdade, espaço para divulgação”, diz Roberta.

Apresentadora do programa Cultura Livre, na TV Cultura, Roberta, que também comanda diariamente o Som a Pino – mesmo nome da coluna – , na Rádio Eldorado, das 12h às 13h, escreverá sempre às quintas-feiras. “Penso em trazer novidades. Apresentar gente de qualidade para o ouvido das pessoas. No ar desde julho, tive boas experiências com meu programa na Rádio Eldorado. Recebi muitas mensagens de ouvintes. Eles disseram que se surpreenderam com algumas canções. Queriam saber onde dava para baixar ou comprar o disco de determinado artista. Isso faz toda a diferença. Significa que funcionou de alguma forma”, afirma ainda.

Formada em Teatro e Rádio e TV, Roberta iniciou sua carreira na Rádio Cultura, quando estreou o Cultura Livre nas frequências do AM. Dois anos depois, em 2011, levou o programa para a TV Cultura. Roberta Martinelli cursou quatro anos de Direito. Aluna “mediana”, como ela mesma lembra, dividia o tempo entre os estudos na faculdade e o teatro, sua grande paixão. “Na adolescência, eu era completamente apaixonada pelo teatro. Chegou uma hora que desisti de ser advogada para me dedicar 100% àquilo que mais amava. Faltou grana e passei sufoco. As peças não tinham um bom público. Comecei a fazer Rádio e TV na Faap e depois entrei como estagiária na Rádio Cultura. Eu fui a estagiária mais velha que já passou por lá”, brinca ela.

Roberta Martinelli acredita que o futuro público da nova coluna será completamente diferente do Cultura Livre e do programa Som a Pino, da Rádio Eldorado. “Não dá para comparar. A ideia é atrair gente mais jovem. Até porque pretendo usar uma linguagem que reflete o meu jeito de falar, de me expressar. Farei do mesmo jeito de sempre. Fico na expectativa de prender a atenção do leitor. A princípio, todos aqueles nomes novos podem assustar um pouco. Douglas Germano, Juliano Holanda e Paula Tesser foram alguns artistas que chamaram a atenção do ouvinte recentemente. Espero mostrar mais coisa.”

Mais conteúdo sobre:
Música Rádio Eldorado de São Paulo MPB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.