1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Morre Severino Filho, líder do grupo vocal Os Cariocas

- Atualizado: 01 Março 2016 | 12h 30

Ele tinha 88 anos e estava internado com problemas pulmonares

RIO - Fundador do grupo vocal Os Cariocas, o músico Severino Filho morreu na manhã desta terça-feira, 1, aos 88 anos. Ele estava internado no Hospital Quinta D’Or, na zona norte do Rio, com quadro de trombose pulmonar, descoberto por causa de sua respiração subitamente ofegante. Ainda não há informações sobre enterro – a filha de Severino, a atriz Lúcia Veríssimo, disse que está tentando acertar um local público para o velório, mas ainda não conseguiu, por ser aniversário da cidade do Rio.

“Ele estava absolutamente lúcido, ensaiando no Centro de Tratamento Intensivo do hospital com a banda. Nunca deixou de se apresentar. O último show foi dia 11 de dezembro, e a internação, pouco depois. A evolução foi muito rápida porque ele pegou duas infecções hospitalares seguidas, essas coisas que acontecem no nosso País”, lamentou. Lúcia disse que o amor pela música o levava adiante. “Era a única coisa que movia meu pai. Ele dizia ‘não me deixe parar de cantar, eu tenho que subir no palco’. No hospital, cantava todas as músicas de bossa nova, num falsete impecável, mesmo com problemas respiratórios. Era um touro.”

Severino Filho, com a filha Lucia Verissimo, e a cantora Zelia Duncan
Severino Filho, com a filha Lucia Verissimo, e a cantora Zelia Duncan
Severino Filho era pianista. Formou Os Cariocas em 1942, com o irmão Ismael Neto, autor, com Antonio Maria, autor da “Valsa de uma cidade”, e mais três integrantes. Severino assumiu a liderança do grupo em 1956, com a morte de Ismael, sendo responsável por seus famosos arranjos vocais.

O grupo começou na Rádio Nacional e se notabilizou, nos anos 1960, pelas interpretações de bossa nova. Em 1962, o disco “A bossa dos Cariocas” trazia um dos primeiros registros de “Garota de Ipanema”. O LP tinha ainda futuros clássicos do gênero, como “Samba de uma nota só”, “Samba do avião”, “O amor em paz”, “Desafinado”, “Rio” e “Só danço samba”.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX