1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail
Lollapalooza

Lollapalooza 2016: Com chuva de hits, Bad Religion promove bailão da saudade punk

- Atualizado: 12 Março 2016 | 19h 10

Banda fez apresentação enérgica e digna dos grandes artistas

Os cabelos grisalhos de Greg Graffin, vocalista do Bad Religion, podem até enganar, mas quem assistiu à apresentação da banda na tarde deste sábado, 12, no palco Skol do Lollapalooza, percebeu por que o grupo, pioneiro do punk rock, é tão respeitado. Com hits de mais de 30 anos de carreira, os californianos fizeram um show impecável, digno dos grandes artistas.

Se o line-up do festival não agradou ao público de uma maneira geral , restou a quem veio ao Autódromo de Interlagos se apagar aos "pequenos notáveis".

"Estou me sentindo em casa", disse o Greg Graffin antes de emendar 'Do What You Want'
"Estou me sentindo em casa", disse o Greg Graffin antes de emendar 'Do What You Want'

Greg Graffin mostrou afinação com o microfone. De Infected a Sorrow, o Bad Religion despejou uma enxurrada de clássicos. Os hits passaram por álbuns importantes da carreira: How Could Hell Be Any Worse? (1982), Suffer (1988), Recipe for Hate (1993) e Stranger Than Fiction (1994). 21st Century Digital Boy foi a segunda música da apresentação.

Durante três décadas, a banda californiana rompeu fronteiras sociais e questionou autoridades e crenças com singelos acordes de guitarra, tambores de bateria, letras inteligentes e uma vontade infinita de inspirar e provocar quem os ouvia.

"São Paulo, é muito bom estar de volta. Vocês estão incríveis. Estou me sentindo em casa. Essa é para lembrar os velhos tempos", disse Greg antes de emendar o clássico Do What You Want, do disco Suffer (1988).

Lollapalooza Brasil 2016 - 1º dia
Serjao Carvalho / ESTADAO
Sem imagem!

O rapper Eminem não permitiu que seu show fosse transmitido pela televisão; só quem foi ao Autódromo de Interlagos neste sábado pode acompanhar sua performance. Fotos do show também foram proibidas - mas deu tempo de fazer essa!

Quando os primeiros acordes de American Jesus, última música do show, foram executados, a plateia veio abaixo. O hit, talvez o mais emblemático do grupo, tem o poder de hipnotizar a plateia de forma intensa. Quem estava longe do palco se aproximou rapidamente. Gritos ensurdecedores foram ouvidos a quilômetros de distância.

Lollapalooza
Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX