1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Litígio sobre a canção 'Parabéns a Você' chega ao fim

- Atualizado: 10 Fevereiro 2016 | 11h 51

Acordo divulgado por um tribunal de Los Angeles deve colocar a música em domínio público

Parabéns a Você, uma das canções mais conhecidas do mundo, está prestes a se tornar de domínio público, após longas disputas legais.

A empresa americana Warner/Chappell Music aceitou pagar US$ 14 milhões depois de um acordo para pôr fim a um litígio sobre os direitos autorais da canção, que se arrastava há anos.

A disputa começou em 2013, depois que um grupo de cineastas processou a Warner Chappell, a produtora musical da companhia privada Warner Music Group, que exigia o pagamento dos direitos autorais sobre a música. Em setembro passado, um juiz já havia determinado que as pretensões da Warner/Chappell não eram legítimas.

A canção é atribuída a Patty Hill, um instrutor de pré-escola do final do século XIX nascido no estado de Kentucky e a sua irmã Milfred
A canção é atribuída a Patty Hill, um instrutor de pré-escola do final do século XIX nascido no estado de Kentucky e a sua irmã Milfred
O acordo, divulgado em um tribunal de Los Angeles, terminará com as demandas da companhia sobre a propriedade da canção.

"Ao declarar que a canção passa a ser de domínio público, o acordo terminará com mais de 80 anos de incerteza a respeito da disputa pelos direitos autorais", afirma o texto do tribunal federal de Los Angeles.

O acordo ainda precisa da aprovação de um juiz. É muito provável que seja concluído, já que ambas as partes concordaram. Uma vez anunciada a sentença, Parabéns a Você será de domínio público.

A canção é atribuída a Patty Hill, um instrutor de pré-escola do final do século XIX nascido no estado de Kentucky e a sua irmã Milfred, mas os demandantes dizem que a melodia surgiu muito antes.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX