EFE
EFE

Leonard Cohen: 'Disse que estava preparado para morrer, mas acho que exagerei'

Músico e poeta apresenta o disco 'You Want It Darker' e comenta o Nobel de Dylan: "É como colocar uma medalha no monte Everest por ser a montanha mais alta"; ouça o álbum

David Villafranca, EFE

14 Outubro 2016 | 10h35

"Disse recentemente que estava preparado para morrer e acredito que estava exagerando (...) Tenho a intenção de viver para sempre", afirmou com ironia o lendário poeta e músico Leonard Cohen em encontro nesta quinta-feira, 13, em Los Angeles, a propósito de seu novo disco, You Want It Darker.

Com sua voz cavernosa, traje escuro, camisa cinza e elegância desde o menor gesto, Cohen, de 82 anos, dedicou também palavras a Bob Dylan, premiado com o Nobel de Literatura. "Para mim, é como colocar uma medalha no monte Everest por ser a montanha mais alta (do mundo)", disse. 

O novo disco de Leonard Cohen, You Want It Darker, será lançado em 21 de outubro. Com oito canções e uma versão adicional do tema Treaty, o músico dá continuidade com este álbum a Old Ideas (2012) e Popular Problems (2014), seus trabalhos de estúdio em seu renascimento criativo, quase por obrigação, depois de saber que seu representante, Kelley Lynch, o havia deixado em ruínas.

O aroma cálido, escuro, sedutor e reflexivo da trajetória de Cohen resulta perfeitamente reconhecível em seu novo disco. O single You Want It Darker, com ar de réquiem, pode lembrar I'm Your Man (1988) e estremece com um verso sinistro: "Estou preparado, meu Senhor".

Ouça o álbum 'You Want It Darker': 

Não é de se estranhar que muitos meios destacaram o álbum como uma despedida de luxo para Leonard Cohen porque as imagens de meditação e o balanço espiritual são constantes ao longo de You Want It Darker. Chamas que se apagam, despedidas que parecem definitivas, fantasias e ilusões que desaparecem são alguns dos temas que aparecem na boca do autor de Hallelujah.  

"Sinto que é o vocabulário com o qual cresci, esta paisagem bíblica é muito familiar para mim. É natural que use esses pontos de referência, umas vez que são universais e que todo mundo entende", argumentou. 

Dentro da sobriedade característica de Cohen, destacam-se também alguns arranjos como os coros solenes de You Want It Darker, os adornos de cordas de Steer Your Way e o ar mediterrâneo de Traveling Light ou a pegada soul de On The Level. Cohen tampouco se esquece do romantismo e em If I Didn't Have Your Love fala de sóis sem luz, noites eternas, mares secos e flores feitas de pedra que haviam tido lugar se não tivesse se apaixonado. 

Mais conteúdo sobre:
Leonard Cohen Bob Dylan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.