DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Jay-Z pagou fianças de detidos em protestos raciais nos EUA

Doação foi revelada em tweet de uma escritora próxima ao rapper

AFP

18 Maio 2015 | 15h27

Nova York - A estrela do rap Jay-Z usou, silenciosamente, sua fortuna para pagar as fianças de várias pessoas que foram presas nos Estados Unidos em distintas manifestaçãoes contra a violência policial à população negra, segundo uma escritora próxima ao cantor.

Dream Hampton, escritora e militante que trabalhou no livro Decoded, que reúne as memórias de Jay-Z, publicado em 2010, revelou as confidências em uma série de tweets que foram rapidamente apagados. Não obstante, a revista Complex, especializada em hip-hop, conseguiu reproduzir os posts. 

"Quando necessitávamos de dinheiro para as fianças dos manifestantes de Baltimore, pegi ao Jay, como fiz no cado de Ferguson, e ele me transferiu dezenas de milhares de dólares em alguns minutos", escreveu Hampton em um de seus tweets.

Ela também tuitou que Jay-Z e sua esposa, a cantora Beyoncé, assinaram um "grande cheque" para apoiar o movimento Black Lives Matter (as vidas dos negros importam, em tradução livre), que é um dos slogans mais empunhados durante as manifestações.

As manifestações começaram assim que um policial branco matou o adolescente afroamericano Michael Brown, que estava desarmado, na cidade de Ferguson, um subúrbio de St. Louis, no Missouri.

Nas últimas semanas também ocorreram violentos protestos em Baltimore (em Maryland), quando outro afroamericano, Freddie Gray, morreu por uma lesão na coluna causada por um policial branco.

Os tweets da escritora pareciam ter o objetivo de defender Jay-Z e Beyoncé, que foram acusados por alguns ativistas de não se comprometerem a fazer doações.

Mais conteúdo sobre:
Jay Z

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.