NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Ingressos para o último show da história do Hangar 110 se esgotam em 20 minutos

CPM 22 encerra as atividades da casa no dia 23 de dezembro; tradicional reduto de punk-rock e hardcore de São Paulo fechará as portas depois dessa apresentação

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

13 Novembro 2017 | 17h03

O último show da história do Hangar 110 já tem data definida. A apresentação derradeira de uma das casas mais famosas do circuito underground e alternativo de São Paulo será realizada no dia 23 de dezembro. O CPM 22, banda liderada por Badauí, Japinha e Luciano, é quem vai encerrar os trabalhos do local, que encerra suas atividades depois de 19 anos. Os ingressos, que começaram a ser vendidos pelo site oficial do Hangar 110 na manhã desta segunda-feira, 13, se esgotaram em 20 minutos. Alguns fãs, frustrados com o encerramento das vendas, postaram mensagens na página oficial do evento solicitando um show extra.

+++ Após se aventurar pelo ska, CPM 22 lança disco que resgata as raízes da banda

Às vésperas do anúncio da performance, o CPM 22, primeira banda a se apresentar no Hangar 110, no dia 18 de outubro de 1998, convocou os fãs para a performance. "No dia 23 de dezembro teremos a honra (e de certa forma, a infelicidade) de ser a banda que irá encerrar as atividades do Hangar 110, o templo do rock de São Paulo. Como a maioria já sabe, fomos a primeira banda a tocar na casa e pudemos ver de perto uma história fantástica se formar em torno desse local mítico. De qualquer forma, seja o primeiro show ou seja o último show, não importa, nós vamos chegar com a mesma pegada de sempre e tocar cada acorde com a mesma energia. Então preparem-se, será um dia para entrar para a história, amigos!!!", comunicou a banda em sua página oficial no Facebook.

+++ 'Não queremos apelar para bandas cover ou baladas com DJs', diz dono do Hangar 110

Em entrevista ao Estado em outubro do ano passado, Marco Alemão, dono do Hangar 110, afirmou que os jovens haviam perdido o interesse pelos shows ao vivo. "Quando abrimos o Hangar, éramos únicos. A gente viu que tinha uma relevância na cena alternativa. Hoje a coisa está difícil e infelizmente a internet tem atrapalhado um pouco. Não há perspectiva de melhora. A garotada não quer mais vir aos shows para curtir um som, conhecer gente e falar sobre música. Eles querem, na verdade, é ouvir tudo pela internet. Isso vale para as bandas também. Tem muito grupo que não se preocupa com a sonoridade produzida, mas só com a fama. Eles contabilizam o número de curtidas no Facebook. Querem ser famosos acima de qualquer coisa", disse ele na ocasião.

+++ 16 grandes bandas que fizeram história no Hangar 110

Em meados dos anos 2000, o Hangar 100 se tornou o principal reduto punk/hardcore da cidade. Algo similar ao CBGB (famoso clube de country e bluegrass de Nova York). Inocentes, Replicantes, New York Dolls, Ratos de Porão, Cólera, Exploted, Dead Fish, NX Zero, Dance of Days, Garage Fuzz, Hateen, Street Bulldogs, Blind Pigs e The Toy Dolls foram algumas das bandas que passaram pelos palcos do famoso local.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.