Michael loccisano
Michael loccisano

Guitarrista dos Rolling Stones, Ronnie Wood revela que teve câncer de pulmão

O tumor foi descoberto durante um exame de rotina, explica o músico

AFP

06 Agosto 2017 | 16h27

O segundo guitarrista dos Rolling Stones, Ronnie Wood, de 70 anos, foi operado em maio passado para retirar um câncer de pulmão, revelou uma entrevista publicada neste domingo em um suplemento do semanário britânico The Mail on Sunday.

O tumor foi descoberto durante um exame de rotina, explica o músico na entrevista de divulgação do livro "Ronnie Wood: Artist", dedicado às centenas de desenhos e pinturas feitos por Wood nos últimos 50 anos.

O médico anunciou "que eu tinha essa supernova em chamas no meu pulmão esquerdo", disse, lembrando também da angústia da espera para saber de o tumor havia se espalhado para outros órgãos.

"Teve uma semana em que tudo esteve por um fio", recorda-se. "Podia ter sido o fim, o momento de dar adeus. Nunca se sabe o que pode acontecer", completa Wood.

O músico garante que, independentemente do resultado, não se submeteria à quimioterapia. "Esse cabelo não ia a lugar algum", disse.

Quando confirmou que o câncer não tinha se espalhado, ele fez uma cirurgia de emergência. "Está tudo bem agora. Foi tratado rápido o bastante", explica.

Wood parou de fumar no ano passado, uma semana antes do nascimento de suas filhas gêmeas Gracie Jane e Alice Rose. Mas durante décadas ele fez jus ao estilo de vida rock'n'roll.

"Eu fiquei pensando numa coisa, depois que parei de fumar: 'Como eu posso passar 50 anos fumando sem parar - além de todos os meus outros maus hábitos - sem ter nada?", disse ao jornal.

Quando recebeu o diagnóstico, "para ser completamente honesto, não fiquei surpreso". "Eu tive muita sorte, mas sempre tive um anjo da guarda forte cuidando de mim".

Ronnie Wood é casado com a produtora teatral Sally Humphreys, de 39 anos. Ele entrou para os Rolling Stones em 1975, substituindo Mick Taylor. Wood é o mais jovem dos Stones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.