Divulgação
Divulgação

Gilberto Gil ouve, 41 anos depois, a própria música censurada

Quarenta e um anos depois, o cantor e compositor baiano ouve com a família, em estúdio, a canção 'Rato Miúdo', que ficou guardada por todo esse tempo depois de ser censurada

O Estado de S.Paulo

21 Outubro 2016 | 19h12

O criador ouve sua criação. Quarenta e um anos depois de ter a música 'Rato Miúdo' censurada em seu disco 'Refazenda', Gilberto Gil, ao lado dos filhos e dentro de um estúdio, ouve e sorri com ela divertindo-se como um novato. Na noite desta quinta-feira, ele divulgou este vídeo em que aparece cantando as frases que lembra da música.

A canção já havia sido divulgada na terça (18) pelo compositor e cineasta Jorge Alfredo Guimarães. Agora, Gil comenta em sua página no Facebook: "Noite boa pra ouvir 'Rato Miúdo' em família. A música entraria em 'Refazenda' mas foi censurada e somente no início dessa semana a descobri com vocês #PelaInternet no canal de seu compositor Jorge Alfredo", escreveu.

Marcelo Fróes, que produziu a coletânea 'Ensaio Geral', de Gil, fez uma correção ao artista. 'Rato Miúdo' não se trata de sobra de estúdio. "Na verdade não é sobra do 'Refazenda'. Foi gravada junto com 'Sítio do Picapau Amarelo' e 'Gaivota' um ano depois. Achei nas sessões de 8 canais quando fizemos aquele box pra PolyGram em 1998", escreveu.

CENSURA

O que levou 'Rato Miúdo' a cair nas tesouras dos militares censores foram partes como esta "por ter sido julgado incapaz, definitivamente, podendo exercer atividades civis". "Gil teve que retirar a música do show e do LP 'Refazenda', e não colocou nenhuma outra no lugar", escreveu o compositor.

 

Mais conteúdo sobre:
Gilberto Gil Música

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.