Assine o Estadão
assine

Cultura

David Bowie

Em testamento, Bowie diz que cinzas devem ir para Bali e divide patrimônio de US$ 100 milhões

A babá que cuidava de seu filho Duncan, Marion Skene, terá direito a cerca de US$ 1 milhão

0

Reuters

01 Fevereiro 2016 | 10h45

NOVA YORK (Reuters) - David Bowie, o astro britânico do rock que morreu aos 69 anos de câncer no início deste mês, indicou em seu testamento que suas cinzas devem ser jogadas em Bali, uma ilha que o fascinava, de acordo com uma reportagem de jornal.

O patrimônio de Bowie estimado em US$ 100 milhões será repartido entre a mulher do astro, os filhos, a babá e uma assistente pessoal, de acordo com seu testamento de 20 páginas, submetido ao tribunal de Surrogate, em Manhattan, informou o New York Times.

Sua cobertura localizada no estiloso bairro de Soho em Manhattan, onde fãs deixaram flores após a notícia de sua morte no último dia 10 de janeiro, foi deixada para a viúva, a modelo Iman Abdulmajid Jones, de acordo com o jornal. Ele também legou a ela metade de seus bens. 

Os filhos de Bowie, o adulto Duncan e a adolescente Alexandria, terão cerca de 25% dos bens do pai cada, e Alexandria ainda ficará com a casa de retiro de Bowie em Ulster County, no interior de Nova Iorque.

A babá que cuidava de Duncan, Marion Skene, terá direito a cerca de US$ 1 milhão, informou a reportagem.

Bowie ainda legou à sua assistente pessoal de muitos anos, Corinne Schwab, ou Coco, US$ 2 milhões e ações em uma empresa chamada Opossum Inc. Não se sabe ainda qual é o ramo empresarial da Opossum.

Mais conteúdo sobre:

Comentários