Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Elton John e James Taylor fazem show recheado de clássicos em SP

Nenhuma atração do Lollapalooza, realizado na capital paulista há duas semanas, chegou sequer perto da qualidade dos dois artistas

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

07 Abril 2017 | 00h43

Envelhecer pode parecer doloroso para alguns. Os cabelos brancos multiplicam-se de maneira incontrolável. As rugas, antes esporádicas, passam a ser constantes e, com o passar dos anos, transformam rostos joviais em expressões abatidas pelo poder do tempo, sempre tão rigoroso e implacável. James Taylor e Elton John, que fizeram show para 45 mil pessoas na noite desta quinta-feira, 6, no Allianz Parque, na zona oeste de São Paulo, mostraram, entretanto, que o tempo só lhes fez bem.

Mais do que poderiam imaginar, na verdade. Em meio à superficialidade artística e a um vazio latente, elementos estes que assolam a música pop e ficaram visíveis no Lollapalooza deste ano, o "duo", que se apresentou separadamente, provou por que ainda reina com soberania e a passos largos de seus "herdeiros musicais". James Taylor e Elton John deram uma aula de música e transformaram o estádio do Palmeiras num verdadeiro bailão da saudade.

Apesar de promoverem o show juntos, os artistas se apresentaram individualmente. O primeiro a subir ao palco foi James Taylor, por volta das 20h. Com o dedo da mão esquerda quebrado, ele lamentou não poder tocar violão devido ao pequeno acidente. "Muito obrigado, São Paulo. Eu sou James Taylor. Não falo bem português. Estou muito feliz por estar no Brasil. Lamento dizer que quebrei meu dedo. Não vou poder tocar violão nesta noite", disse ele em português.

Em 'Walking Man', os dedos do bom velhinho, que usava sua tradicional boina, coçaram para agarrar o instrumento, logo ali do lado. Ele, todavia, segurou o ímpeto e concentrou os esforços em sua bela e imponente voz, que enfeitiçou o público. A entonação de James não tem um alcance potente, mas consegue prender a atenção de forma mágica, como em 'Today, Today', Today'.

O jeito doce de interpretar seus clássicos emocionou muitos marmanjos. Em 'Only a Dream in Rio', o norte-americano se lembrou de sua emblemática apresentação no Rock in Rio de 1985, quando veio ao Brasil pela primeira vez. Prestes a encerrar a carreira, James mudou de ideia ao ver o coro de 100 mil pessoas que foram à Cidade do Rock naquela ocasião. Ele não tinha noção de quão popular era no País. Depois do ocorrido, James não só decidiu continuar na música como compôs 'Only a Dream in Rio' em homenagem àquele dia histórico que mudou sua vida para sempre.

Em 'You've Got a Friend', seu maior hit, uma única voz tomou conta do local. Pessoas se abraçaram e muitos casais apaixonados, de todas as idades, aproveitaram a oportunidade para fazer juras eternas de amor. "É um grande prazer e uma grande honra cantar para vocês nesta noite", afirmou, desta vez em inglês.

A performance suave de James Taylor apenas aqueceu o que viria na sequência. Com uma apresentação arrebatadora, Elton John não economizou nos clássicos. Diferentemente do Rock in Rio de 2015, quando fez um show mais curto, o britânico usou e abusou de um setlist pomposo de quase duas horas. Trajando um modelito preto e dourado porporinoso, o músico mostrou a que veio logo no início da apresentação com 'Bennie and the Jets' e 'Daniel'.

A cada canção, Sir Elton John parece fazer questão de se superar, atingindo cada nota com perfeição. Em 'Rocket Man', fez uma belíssima introdução solo no piano. Muitos fãs demoraram para reconhecer a música, que depois foi cantada em coro. 'Tiny Dancer' manteve o alto nível da performance, que, apesar da chuva, encantou do começo ao fim.

'Your Song', que já foi trilha sonora de filme na voz de Ewan McGregor e Nicole Kidman no musical 'Moulin Rouge', foi um dos momentos mais emocionantes da noite. 'Don't Let The Sun Go Down On Me' homenageou George Michael, que morreu em 25 de dezembro do ano passado. George Michael foi lembrado com uma belíssima imagem no telão. Os dois gravaram juntos 'Don't Let The Sun Go Down On Me' em 1992.

Na reta final do show, Elton John transformou o clima romântico em pista de dança. 'Your Sister Can't Twist', 'Saturday Night's Alright For Fighting', 'Skyline Pigeon', 'Candle in the Wind' e 'Crocodile Rock' deram números finais à performance mais brilhante do artista pela capital paulista.

O show de Elton John e James Taylor em São Paulo encerrou a turnê da dupla pelo País. Antes disso, eles já haviam tocado em Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro. Agora, eles seguem para Buenos Aires, na Argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.