Delicado samba de Teresa Cristina aterrisa em São Paulo

Sambista inicia temporada nesta quinta e diz que novo álbum representa 'o seu momento'

Pedro Henrique França, da Agência Estado

04 Outubro 2007 | 14h30

A sambista Teresa Cristina cansou de falar para poucos, ou melhor, de cantar somente no eixo Rio-São Paulo. Queria expandir a carreira para o restante do País. Em um acordo amigável com sua antiga gravadora, a Deckdisc, ela pegou seu talento musical, um disco pronto e se mudou para a EMI, por onde lançou seu mais novo trabalho, Delicada. Agora, junto com os virtuosos parceiros do Grupo Semente, chegou a hora de mostrar o repertório aos paulistanos.   Incensada como a propulsora do samba, por suas apresentações no boêmio bairro carioca, a Lapa, a cantora diz não querer carregar esse peso. "Acho que ajudei a difundir o samba, mas quando comecei a tocar na Lapa já tinha outros grupos e que também ajudaram a expandi-lo", afirma. Para ela, ter outras meninas gravando, como Maria Rita, ajuda a abrir espaço no mercado para o gênero. "Quero ver rádios que se negavam a tocar o samba, não tocarem agora quando uma cantora com o alcance da Maria Rita gravou samba. Graças a ela, talvez a gente também consiga entrar."   Teresa Cristina inicia temporada nesta quinta-feira, 4, no Teatro Fecap. Para o show, ela promete apresentar "algumas" do novo disco, além de outras composições suas. "Sempre ouvi das pessoas que eu deveria cantar mais músicas minhas, que eu tinha vergonha de mostrar. Mas estou aproveitando este show para mostrar o CD e também outras composições", diz. Seu ídolo do samba, Paulinho da Viola, também comparece na canção Coração Imprudente. "Não dá pra fazer show sem uma música do Paulinho", frisa Teresa Cristina.   Além de músicas de Paulinho, em Delicada também aparecem composições de Walter Queiroz (Carrinho de Linha), Candeia (A Paz do Coração) e até mesmo de Caetano Veloso, com Gema. Para a sambista, o novo álbum representa o seu momento. "Ele é o que eu faço hoje. Sou compositora, mas canto na noite há nove anos. A princípio ia fazer um álbum só de inéditas, mas depois optei por trazer canções que eu gosto e canto na noite".   Na temporada que faz em São Paulo, Teresa Cristina agrega ainda O Samba é Meu Dom, de Wilson das Neves com Paulo César Pinheiro, e A Borboleta e o Passarinho, registrado no disco anterior, O Mundo é Meu Lugar - Ao vivo. Assim, ela propõe um conglomerado de referências - MPB, baião e umbanda - que bebem no samba. "O samba é matéria-prima pra muita coisa e é cantado no Brasil inteiro", exalta.   Teresa Cristina. Teatro Fecap, Av. Liberdade, 532, tel (11) 3272-2277. Quinta a sábado, 21h, e domingo às 19h. Até 14/10. De R$ 10 (quintas) a R$ 40.

Mais conteúdo sobre:
Teresa Cristina samba São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.