Reuters
Reuters

Cinco canções na voz marcante de Frank Sinatra, que morreu há 20 anos

Intérprete imortalizou canções como 'My Way', 'New York, New York' e 'Strangers in the Night'

O Estado de S.Paulo

14 Maio 2018 | 15h29

Vinte anos após a morte de Frank Sinatra, o alcance de sua voz e o magnetismo de sua personalidade ainda desafiam biógrafos e pesquisadores que reproduzem versões da história cheia de controvérsias que ele deixou e tentam entender o que foi aquilo que passou pelo mundo entre os dias 12 de dezembro de 1915, quando nasceu em Hoboken, como um milagre, e 14 de maio de 1998, dia em que os grandes olhos azuis se fecharam para sempre, em Los Angeles. 

Sinatra, cuja voz sedutora conquistou legiões de fãs em todo o mundo, fez sua primeira gravação em 1939. Conhecido por clássicos como My Way, New York, New York e Strangers in the Night, ele continuou gravando quase até sua morte, em 1998.

Já consagrado também por suas performances como ator de cinema, tendo atuado e cantado em diversos filmes nos anos 1940, tais como Noites de rumba (1941), A lua ao seu alcance (1944) e Aconteceu assim (1947), entre outros, conquista papéis de destaque não só nos musicais, a exemplo de Eles e Elas (1955), Alta Sociedade (1956) e Meus dois Carinhos (1957), que lhe rendeu o Globo de Ouro de melhor ator, mas também em papeis como O homem do braço de ouro (1955), pelo qual foi indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante. 

A década de 1960 marca o período de lançamento de discos por sua própria gravadora, a Reprise: Ring-a-Ding-Ding! (1961), Sinatra-Basie: An historic musical first (1962), com Count Basie, e America, I hear you singing (1964), com seu ídolo Bing Crosby, entre outros.

O cantor, também apelidado de “Olhos Azuis”, tinha fama de galã e manteve uma série de relacionamentos com mulheres famosas, como Lana Turner, Grace Kelly, Sophia Loren, Shirley MacLaine e Marilyn Monroe. Sua última esposa foi Barbara Marx, ex-esposa do comediante Zeppo Marx, com quem Sinatra se casa em 1976. Recebe o Grammy de 1980 de Melhor Álbum por Past, Present and Future. A música New York, New York, composta para a trilha sonora do filme homônimo de Martin Scorsese e presente neste álbum, recebe o troféu de melhor canção do ano. Decide encerrar a carreira em 1955. 

Ao longo da carreira, Sinatra recebeu mais de trinta indicações para o Grammy, sendo premiado treze vezes. Por sua versatilidade como artista, possui três estrelas na calçada da fama de Hollywood.

 

Mais conteúdo sobre:
Frank Sinatra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.