Chris Pizzelo/ AP
Chris Pizzelo/ AP

Caetano Veloso é destaque no Grammy Latino, dominado por Calle 13

João Bosco e Vinicius, Pato Fu e Djavan também estão entre os brasileiros premiados

Antonio Martín Guirado/ EFE,

11 Novembro 2011 | 11h19

O duo porto-riquenho Calle 13 se consagrou nesta quinta-feira como reis da 12ª edição do Grammy Latino, uma cerimônia na qual ganharam nove dos dez prêmios aos quais concorreram, recorde absoluto na história da premiação.

 

René Resident Pérez e Eduardo Visitante Cabra conseguiram os fonógrafos dourados de Melhor Álbum do Ano e Melhor Álbum Urbano, Melhor Canção, Melhor Gravação, Melhor Canção Alternativa e Melhor Vídeoclipe, Melhor Canção Urbana, Melhor Canção Tropical e Melhor Produtor do Ano, com o argentino Rafael Arcaute.

 

Arcaute foi o outro grande vencedor da noite, já que levou os seis prêmios aos quais concorria, todos eles por seu trabalho de produção com Calle 13.

 

"É preciso ter colhões para conseguir isto", disse René em declaração aos jornalistas ao final da cerimônia. Vestido com uma camiseta que pedia "educação pública gratuita", o músico acrescentou: "Estamos rompendo muitas barreiras com uma proposta que rompe esquemas".

 

Na categoria Álbum do Ano, por exemplo, os porto-riquenhos conseguiram superar o disco Sale el Sol, da colombiana Shakira.

 

Entre os brasileiros, quem se destacou foi Caetano Veloso, vencendo o prêmio de Melhor Álbum de Rock Brasileiro, com Zii e Zie - Ao Vivo; Jota Quest, com Melhor Álbum Brasileiro de Pop Contemporâneo por Quinze; Djavan, com Melhor Álbum de MPB por Ária.

 

Na disputa pelo Grammy de Melhor Álbum de Música Sertaneja, João Bosco & Vinícius derrotaram a favorita Paula Fernandes, também indicada para Melhor Artista Revelação.

 

Além disso, o grupo mineiro Pato Fu levou o prêmio de Melhor Álbum Infantil com Música de Brinquedo. Já o Exaltasamba faturou o prêmio de Melhor Álbum de Samba por 25 anos Ao Vivo.

 

Outro dos prêmios destacados foi o Melhor Álbum de Folk, que foi para a falecida Mercedes Sosa, por Deja La Vida Volar - En Gira.

 

Foi uma cerimônia de três horas repleta de apresentações com momentos emotivos, como quando o Calle 13 se uniu à Orquestra Sinfônica Simón Bolívar, dirigida pelo venezuelano Gustavo Dudamel, para cantar América Latina.

 

A noite continuou com shows de Shakira, Paulina Rubio, Maná e Prince Royce, Paula Fernandes e Romeo Santos, Pablo Alborán e Demi Lovato, Pit Bull e Marc Anthony, Romeo Santos e Usher, entre outros.

 

 

O público também ficou de pé quando a atriz colombiana Sófia Vergara entregou para sua compatriota Shakira o prêmio de Personalidade do Ano, outorgado pela Academia Latina da Gravação.

 

"Pouca gente sabe que nós duas vivíamos pertinho uma da outra, em Barranquilla", revelou a cantora, que não hesitou em afirmar que esse prêmio é "possivelmente" o reconhecimento "mais bonito que já recebeu.

 

A colombiana, aliás, também recebeu o prêmio de Melhor Álbum Vocal Pop Feminino, por Sale el Sol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.