1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Bob Dylan vende 'arca do tesouro' repleta de material de arquivo

- Atualizado: 02 Março 2016 | 18h 56

Os 6 mil itens da coleção abrangem quase toda a carreira de 55 anos do cantor

O cantor Bob Dylan em performance na França
O cantor Bob Dylan em performance na França

O cantor e compositor Bob Dylan vendeu seu arquivo pessoal de notas, rascunhos de letras, poemas, obras de arte e fotografias à Universidade de Tulsa, nos Estados Unidos, onde os itens estarão à disposição dos acadêmicos e poderão ser utilizados em exibições públicas, informou a instituição de ensino nesta quarta-feira, 2.

Os 6 mil itens da coleção abrangem quase toda a carreira de 55 anos de Dylan, e muitos deles jamais foram vistos. A coleção foi adquirida pela Fundação George Kaiser e pela Universidade de Tulsa, no Estado de Oklahoma.

Ela ainda inclui as fitas originais das gravações de todo o catálogo musical do cantor, além de centenas de horas de vídeos.

A fundação e a universidade não informaram quanto o Arquivo Bob Dylan custou, mas o jornal New York Times, que teve acesso prévio exclusivo ao material, afirmou que ele foi arrematado por algo entre 15 e 20 milhões de dólares.

Tulsa também sedia um museu em homenagem ao cantor de folk Woody Guthrie, uma das primeiras influências de Dylan.

"Estou contente que meus arquivos, que foram sendo colecionados durante todos esses anos, finalmente tenham encontrado um lar e que serão incluídos aos trabalhos de Woody Guthrie... para mim, faz muito sentido e é uma grande honra", disse Dylan em um comunicado.

 

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX