1. Usuário
Assine o Estadão
assine


A briga de Chorão com Marcelo Camelo

Agencia Estado

06 Julho 2004 | 10h 43

Chorão é brigão: na última sexta-feira, no Aeroporto de Fortaleza, o vocalista do Charlie Brown Jr. deu uma cabeçada no nariz - seguida de um soco no olho - de Marcelo Camelo, do Los Hermanos. No ano passado, ameaçou Badauí, vocalista do CPM 22, durante um show. "Quando não gostamos de alguma coisa, falamos na cara. Quem esse CPM 22 pensa que é? É uma bandinha de playboys. Badauí, se você cruzar no meu caminho, está ferrado." Chorão também já bateu boca com Falcão, de O Rappa, mas isso foi há mais de três anos e os dois estão acertados. Charlie Brown Jr. e Los Hermanos participaram do Piauí Pop Festival no sábado, em Teresina, e os integrantes das duas bandas começaram a se estranhar no avião. "Chorão entrou dizendo que iria atropelar as bandas que falam mal do Charlie Brown", disse ao JT uma assessora de imprensa do Los Hermanos. Em Fortaleza, antes do embarque para Teresina, Camelo teria se aproximado de Chorão para conversar - quando foi agredido. Em defesa do companheiro de grupo, Rodrigo Amarante também agrediu o vocalista do Charlie Brown no rosto. Camelo e Chorão foram prestar esclarecimento na Polícia Federal mas nenhuma queixa foi registrada porque o único vôo para Teresina sairia em 20 minutos. A causa do desentendimento seria uma reportagem publicada pela revista Oi, em que Camelo teria dito que "esse negócio de fazer comercial para Coca-Cola é um desdobramento da indústria, a gente rejeita esse negócio de vender atitude". Chorão e os outros integrantes do Charlie Brown Jr. já participaram de uma campanha do refrigerante. A reportagem procurou os músicos envolvidos na briga mas eles preferiram não dar entrevistas. Fãs de ambos os grupos, porém, saíram em defesa de seus ídolos. Katia Juliana, de 24 anos, é presidente do fã-clube Oficial do Los Hermanos e se disse "chocada". "Não consigo entender o porquê dessa violência gratuita. E o Marcelo é uma pessoa tão calma, é estranho que isso tenha acontecido justo com ele. Isso compromete a imagem do Chorão. Não sei o que os fãs do Chorão acham disso." O presidente do fã-clube Família Charlie Brown contou ao JT o que "acha disso". "Muita gente fala muita coisa sobre essa história da Coca-Cola. Eu acho que o Chorão não deve satisfação a ninguém. Esse pessoal tem inveja dele e bebe Coca-Cola como ele. Você não bebe?", perguntou à reportagem um exaltado Cristiano Montasse, de 16 anos. Diante da resposta afirmativa, prosseguiu. "Então, o que você está falando? Estou cansado de ficar falando dessa história da Coca-Cola." Então, que tal falar sobre a agressão? "Alguém fica falando bobagem na sua orelha, você vai fazer o quê?", indagou. Ainda de acordo com a assessoria do Los Hermanos, Camelo até teria ligado para Chorão para conversar sobre a matéria da revista ´Oi´ antes do quebra pau em Fortaleza. "A reportagem foi deturpada e quem falou em Charlie Brown foi o repórter, não o Marcelo", disse a assessora. O vocalista do Charlie Brown, no entanto, não teria se interessado em ouvir as explicações. Na matéria, porém, fica claro que não há ataque da parte dos Los Hermanos. Rodrigo Amarante até amacia: "Não estamos aqui para julgar ninguém. Cada um faz o que quer com sua carreira". Em comunicado publicado em seu site oficial, os músicos do Charlie Brown Jr. dizem lamentar a confusão. "Infelizmente, os ânimos se exaltaram de ambas as partes, mas tudo foi resolvido da melhor maneira possível pois ninguém registrou queixa formal." Da parte do Los Hermanos, no entanto, o que se sabe é que Marcelo Camelo entrará sim com uma ação contra Chorão. A carta de esclarecimento distribuída para a imprensa diz que "nenhuma queixa foi feita na ocasião em função dos compromissos a serem cumpridos em Teresina naquela noite, uma vez que o único vôo disponível do dia sairia em 20 minutos". E conclui: "As medidas cabíveis serão tomadas em seu devido tempo".

  • Tags: