Divulgação
Divulgação

Três herdeiras de Ana Cristina César estão na mesma mesa em Paraty

Laura Liuzzi, Annita Costa Malufe e Marília Garcia vão discutir poesia brasileira na programação oficial da Flip

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

22 Abril 2016 | 05h00

Três poetas que guardam uma relação especial com Ana Cristina Cesar, a homenageada da 14.ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), estarão no litoral fluminense entre os dias 29 de junho e 3 de julho: Annita Costa Malufe, Laura Liuzzi e Marília Garcia. As três dividirão uma das mesas da programação oficial do festival.

Annita, professora do Programa de Pós-graduação em Literatura e Crítica Literária da PUC-SP, vai lançar seu quinto livro de poesia na Flip, Um Caderno Para Coisas Práticas. Doutora em estudos literários, ela dedicou mestrado e parte do doutorado à pesquisa da poética de Ana Cristina Cesar.

 

“Há na poesia dela o que eu chamei de ataque ao significado, que é uma espécie de falta de sentido”, resume. “E há uma relação com filósofos franceses contemporâneos como Deleuze e Foucault, que também trabalham com a destruição das significações, e como novos sentidos podem surgir daí.” Annita (1975) relata que Ana Cristina Cesar (1952-1983) é mais conhecida hoje do que quando começou a estudá-la, em 2000. “Ela tem uma poesia difícil, mas que, ao mesmo tempo, atrai leitores. Existe o apelo de uma poesia feminina, de uma leitura mais imediata”, comenta.

Foi esse apelo que fez com que Marília Garcia (1979) se interessasse pelos versos, que mais tarde influenciaram seu jeito de fazer poemas (ela tem três livros de poesia publicados desde 2007, e também é tradutora e editora). “Quando comecei a escrever, tinha em mente a questão das colagens de vozes que ela faz, a conversa com outros poetas, e isso me fascinava e foi muito forte, me influenciou muito”, diz Marília.

Essa “conversa” entre poetas foi levada à prática no projeto mais recente da escritora, a editora Luna Parque. Entre outras edições, a casa lança livros de poetas “em dupla”, e cada dupla combina o jeito de fazer – pode ser um diálogo ou uma resposta, por exemplo. Entre as duplas já lançadas, estão Ana Martins Marques e Marcos Siscar, Lu Menezes e Augusto Massi, Alice Sant’Anna e Zuca Sardan.

Laura Liuzzi (1985), por coincidência, viveu um tempo em uma vila na Gávea, no Rio, onde Ana C. morou – uma de suas fotos mais célebres, em uma janela azul contra uma parede branca, foi tirada lá. “Morei na casa exatamente em frente, mas foi só uma coincidência. E quando cheguei lá, o fetiche todo veio abaixo porque a casa estava mal cuidada”, diz, e ri.

Um novo livro seu – o terceiro, apesar da pouca idade – deve chegar no segundo semestre pela coleção Megamíni, da 7Letras. “Espero recuperar um pouco da soltura, dos erros e da liberdade do primeiro livro”, conta. Ela também continua com seus trabalhos no cinema, atualmente no IMS.

Entre os autores anteriormente confirmados para 14.ª Flip, estão a escritora e jornalista bielo-russa Svetlana Aleksiévitch, vencedora do Prêmio Nobel de Literatura de 2015; o editor e tradutor norte-americano Benjamin Moser; o escritor holandês Arthur Japin e o jornalista Caco Barcellos, entre outros.

Mais conteúdo sobre:
Literatura Poesia:Flip

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.