Obi-Wan Kenobi, de 'Star Wars', é protagonista de novo livro

Obi-Wan Kenobi, de 'Star Wars', é protagonista de novo livro

Caçador de recompensas Boba Fett ensina em como sobreviver na galáxia

O Estado de S. Paulo

14 Março 2015 | 03h00

Assistir ao aniquilamento da própria ordem. Lutar contra o melhor amigo e aprendiz. Derrotá-lo em uma batalha emocionante de sabres de luz. A vida de Obi-Wan Kenobi nos momentos cronologicamente posicionados após o fim do filme Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith (lançado em 2005), é um dos lances mais dramáticos da saga – no papel, digamos, já que os filmes da mais recente trilogia descontentaram os fãs. Um personagem com todo o passado destroçado decide cuidar da última esperança Jedi, Luke Skywalker, filho do recém-transformado Darth Vadder, e abandona a pose de cavaleiro da ordem da galáxia e torna-se um ermitão no planeta desértico de Tatooine. 

Para preencher o espaço de tempo perdido que existe entre as duas versões de Obi-Wan Kenobi, o jovem, do fim de A Vingança dos Sith e a Nova Esperança, nasceu Kenobi, livro de John Jackson Miller, lançado agora no Brasil pela editora Aleph. Quem foi Obi-Wan Kenobi, o famoso Jedi, afinal, da juventude a seus últimos dias, interpretado, nos cinemas, por Ewan McGregor e Alec Guinness, respectivamente. 

Miller conta os primeiros dias do antigo Jedi em Tatooine, o mesmo planeta no qual Kenobi e seu antigo mestre, Qui-Gon Jinn, encontraram um jovem escravo chamado Anakin Skywalker (interpretado, nos cinemas, por Jake Lloyd), desta vez para cuidar do filho dele, Luke, uma peça que seria importante para mudar os rumos da galáxia anos mais tarde. Obi-Wan, contudo, precisou deixar a identidade antiga para trás, para proteger o garoto e fugir da fúria do império que busca a destruição completa dos Jedis. 

Em meio ao deserto e a algumas fazendas, ele assumiu o papel de Ben, sujeito recém-chegado ao planeta, misterioso demais para não ser notado em uma terra de ninguém. “Ele é um homem que está sofrendo”, explica o autor. “Perdeu a todos aqueles com quem já se importou e, para piorar, não pode mostrar essa dor a ninguém, ou poderão suspeitar de quem ele seja. Ben ainda tem uma missão: proteger o jovem Skywalker.” 

A batalha interna vivida pelo personagem, no duelo entre “velho e doido Ben”, identidade adotada ao chegar lá, e a intuição Jedi, é a força central das 528 páginas da edição brasileira. “Esse é o maior desafio do personagem. Ele ainda pensa como um Jedi. Quer ajudar as pessoas em perigo, mesmo se ele estiver no remoto (planeta) Tatooine”, explica Miller. “Ben precisa suprimir esses instintos, sempre que possível.” 

Miller não era um novato quando foi chamado para escrever uma história que integrasse o que é conhecido pelos fãs como Universo Expandido de Star Wars, nome dado a todo material que amplia a história contada nos seis filmes lançados até agora. Kenobi foi uma história inicialmente criada para os quadrinhos de Star Wars, com a ideia de ambientá-la dentro dos aspectos da cultura western dos cinemas. Muito do contexto de faroeste ainda se faz presente no texto, mas a complexidade do personagem-título ainda é o carro-chefe. 

Cinema. Obi-Wan Kenobi, querido personagem dos fãs, é cotado para estrelar filmes derivados de Star Wars, que serão lançados pela Disney com histórias que não seguirão cronologia da próxima trilogia, dirigida por J.J. Abrams. A empresa anunciou, na última semana, contudo, que o primeiro dos filmes spin-off será chamado Rogue One, nome dado ao piloto mais habilidoso do Esquadrão Rogue, e está previsto para chegar aos cinemas em 6 de dezembro de 2016, estrelado por Felicity Jones (A Teoria de Tudo). 

Guia aproxima fãs dos caçadores de recompensas 

Personagem com poucos minutos nas telonas na trilogia original de Star Wars, Boba Fett cresceu no gosto dos fãs nos anos posteriores ao lançamento da primeira parte da saga intergaláctica de George Lucas. O caçador de recompensas ganhou uma pesonalidade mais profunda, sombria e misteriosa em livros e quadrinhos lançados ao longo dos anos e deixou de lado a personalidade de vilão maniqueísta.  O Código do Caçador de Recompensa’, de Daniel Wallace, Ryder Windham e Jason Fry, simula um guia escrito pelo próprio Boba Fett, como uma publicação que verdadeiramente circulou numa galáxia muito, muito distante, para todos aqueles que estavam dispostos a se inscrever na Guilda de Caçadores de Recompensa que atuava por todos os planetas. O divertido, para os fãs de Star Wars, parecem ser as anotações de personagens que vão além de Fett, como Gredo, alienígena assassinado por Han Solo e do próprio personagem interpretado por Harrison Ford. 

 Ali, estão dicas desde como se afiliar à comunidade de caçadores de recompensa, qualidades necessárias para a função e como operar em determinadas situações. O livro integra uma compilação de cinco volumes lançados pela editora Bertrand Brasil. / P.A. 

Mais conteúdo sobre:
star wars cinema literatura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.