Assine o Estadão
assine

Cultura

Literatura

Morre o escritor uruguaio Tomás de Mattos

Era advogado de formação e foi por duas vezes diretor da Biblioteca Nacional

0

AFP

22 Março 2016 | 11h12

O escritor uruguaio Tomás de Mattos morreu nesta segunda-feira, 21, aos 68 anos, informou a editora Penguin Random House em Montevidéu, que publica suas obras.

De Mattos era um romancista reconhecido no Rio da Prata por obras como "La puerta de la misericordia", sobre a vida de Jesus, ou "El hombre de marzo", sobre o criador da escola pública no Uruguai, José Pedro Varela.

O editor-geral da Penguin no Uruguai, Julián Ubiría, disse em e-mail à AFP que De Mattos era "um enorme escritor" e lembrou o impacto que seu romance, "Bernabé, Bernabé!", causou no fim dos anos 1980.

"O tempo dará a verdadeira entidade destas obras, por sua extraordinária qualidade artística e a profundidade dos conceitos que abarcam", destacou Ubiría.

Seu último romance foi "Don Candiño o las doce orejas", em 2014.

De Mattos nasceu em 1947 em Montevidéu, era advogado de formação e foi por duas vezes diretor da Biblioteca Nacional.

 

 

Mais conteúdo sobre:

Comentários