1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Mario Vargas Llosa doa parte de seu acervo para biblioteca no Peru

- Atualizado: 20 Março 2016 | 18h 22

Entre os volumes doados há livros importantes com notas pessoais e dedicatórias de autores como Julio Cortázar e Gabriel García Márquez

Arequipa, cidade que deu à luz há 80 anos ao escritor Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura de 2010, é também a última destinatária de sua biblioteca pessoal – que já abriga milhares de livros e têm sido uma fonte de inspiração para o seu trabalho. Desde 2012, quando o autor anunciou a doação de seus mais de 30.000 livros para a biblioteca que leva seu nome em Arequipa, já tem entregue 7.600 cópias de ficção, história, ciências sociais e periódicos na literatura Latino-americana.

Em 28 de março, o dia do seu 80º aniversário, terá lugar cerimônia de recepção de um lote de 3.100 publicações, como disse o diretor da biblioteca Mario Vargas Llosa, Mario Rommel Arce. Ao contrário dos dois anos anteriores, quando o próprio nobel anunciou a entrega dos livros  2.741 em 2014 e 2.012 em 2015  desta vez estará ausente da cerimônia e contará com a presença do escritor peruano e amigo de Vargas Llosa, Alonso Cueto.

Todos os livros entregues procedem de sua biblioteca em Lima, enquanto que o restante das obras virá das bibliotecas em Paris e Madri. De acordo com Arce, a doação continuará a ser feita "progressivamente". Vargas Llosa, que acaba de publicar o seu romance Cinco Esquinas escolheu Arequipa como destino final de seus livros para ser sua cidade natal e "terra de seus antepassados", disse Arce.

Autor peruano completa 80 anos no dia 28 de março
Autor peruano completa 80 anos no dia 28 de março

Entre os volumes doados há uma porcentagem de "livros importantes com dedicatórias e notas pessoais", como revelou Arce. O escritor colombiano Gabriel García Márquez, também prêmio Nobel Literatura e o argentino Julio Cortázar são alguns dos autores dos livros dedicados. No último lote de livros sobre a história, eles também têm vindo dois historiadores peruanos e do político Raúl Porras Barrenechea, dedicado a Vargas Llosa.

O restante dos livros podem ser consultados em um catálogo virtual disponível no site biblioteca que leva o nome do escritor peruano em uma antiga mansão do século XVIII, típico da arquitetura colonial. Nas prateleiras da biblioteca há livros de grande autores latino-americanos, como o mexicano Octavio Paz, Juan Rulfo e Carlos Fuentes; Miguel Ángel Asturias, da Guatemala, o venezuelano Rómulo Gallegos, do argentino Jose Luis Borges, Alejo Carpentier, de Cuba, o chileno José Donoso e o uruguaio Juan Carlos Onetti.

Vargas Llosa visitou a biblioteca pela última vez no ano passado por ocasião do seu 79º aniversário e confessou que a razão pela qual não dá toda à sua coleção é porque lhe dá "medo" de livrar-se de todos os seus livros. Por ocasião do seu 80º aniversário, o governo regional de Arequipa vai inaugura o Teatro Mario Vargas Llosa. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CulturaX