Acervo
Acervo

Livros emblemáticos de Bioy Casares ganham reedições na Europa

Centenário do escritor argentino é comemorado nesta segunda-feira, 15

EFE

15 Setembro 2014 | 10h52

MADRI - O escritor argentino Adolfo Bioy Casares cumpriria nesta segunda-feira, 15, um século e por causa da data simbólica, a editora espanhola Alianza Editorial reivindica seu legado com novas edições de seus títulos mais emblemáticos.

Considerado um dos mais destacados autores da literatura universal e um dos mais notáveis do continente americano, Bioy Casares foi o pioneiro da literatura fantástica na Argentina, mas também um cronista da realidade e autor de romances de amor.

Uma das reedições é de La Invención de Morel, livro no qual ele narra uma estranha história de amor protagonizada por um homem e uma mulher que vivem existências incompatíveis em espaço e tempo diferentes.

Os dezoito relatos incluídos em Historias de Amor tem como denominador comum a relação amorosa contemplada desde a perspectiva de um humorismo distanciador, um ceticismo civilizado e uma implícita valoração do sentimento.

Adolfo Bioy Casares explora esse tema eterno por meio de uma grande variedade de situações, entre elas a desgraça de um homem que perde o que tem sem alcançar o que deseja, a sobrevivência de uma mulher na memória de dois rivais e a estranheza dos primeiros encontros.

O tema da impossibilidade da relação amorosa, a inserção de um mundo fantástico na realidade e a especulação filosófica de Bioy Casares também aparecem em Dormir Al Sol.

Seu domínio de diversos gêneros narrativos aparece em La Aventura de un Fotógrafo en La Plata, outro dos títulos da coleção.

Enquanto as preocupações e os temas característicos dos relatos de Bioy Casares se aparecem em El Sueño de los Héroes, romance no qual o fantástico irrompe na trivialidade cotidiana de um grupo de amigos que, durante três dias do carnaval de 1927, passeiam pelos subúrbios de Buenos Aires em busca de aventura e diversão.

Diario de la Guerra del Cerdo é outro dos títulos da reedição, no qual Bioy volta a abordar o conflito dos tempos desiguais.

Mais conteúdo sobre:
Adolfo Bioy Casares Literatura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.